Notícias » Arqueologia

Cetros eram canudos para beber cerveja, dizem pesquisadores russos

Os tubos de 5 mil anos da Idade do Bronze, são considerados os primeiros sobreviventes de seu tipo e surpreenderam especialistas

Isabela Barreiros Publicado em 20/01/2022, às 14h25

Tubos encontrados em tumba russa
Tubos encontrados em tumba russa - Divulgação/V. Trifonov / cambridge.org

Em 1897, o arqueólogo Nikolai Veselovsky descobriu um túmulo próximo da cidade de Maikop, na Rússia, que continha um conjunto de tubos de ouro e prata. Na época, ele se referiu aos artefatos da Idade do Bronze como “cetros”.

Agora, em uma nova análise dos itens de mais de 5 mil anos, pesquisadores estão ressignificando o que esses tubos podem ter sido no período em que foram criados. É possível que eles tenham sido canudos feitos para beber cerveja.

No estudo, publicado na última quarta-feira, 19, no periódico científico Antiquity Journal, ressalta-se que os “canudos” provavelmente foram desenvolvidos em um período em que a região vivia o começo da fabricação em larga escala de cerveja na Ásia Ocidental.

Os oito tubos, com cerca de um metro de comprimento cada, seriam as primeiras representações da maneira como a população passou a ingerir a bebida: de forma comunitária. A arte mesopotâmica inclusive retratou esses canudos, ressaltou o jornal The Moscow Times.

“O reexame desses objetos [...] sugere que eles foram usados ​​como tubos para o consumo comunitário de cerveja”, escreveram os cientistas da Academia Russa de Ciências no artigo.
Detalhes dos tubos analisados pelos pesquisadores / Crédito: Divulgação/V. Trifonov / cambridge.org

Até então, canudos desse tipo não haviam sido analisados pelos pesquisadores, o que os levou a considerá-los como os primeiros de seu tipo a sobreviverem todo esse tempo, revelando informações importantes à ciência.

“O conjunto de oito tubos de bebida na tumba de Maikop pode, portanto, representar o equipamento de festa para oito indivíduos, que poderiam se sentar para beber cerveja do único e grande jarro encontrado na tumba”, acrescentaram.

Segundo a pesquisa, “se estiverem corretos, esses objetos representam a evidência material mais antiga de beber através de tubos longos.”

Além de notarem a presença de grânulos de amido de cevada dentro de um dos oito tubos, foi possível identificar que as pontas perfuradas dos tubos finos eram similares às dos coadores de metal de palha que eram usados na época.