Notícias » Reino Unido

Charuto de Churchill é colocado a leilão

Marca registrada do ex-primeiro ministro britânico, o cigarro foi recuperado por uma arrumadeira durante um musical em 1953

Isabela Barreiros Publicado em 17/10/2019, às 14h37

None
Domínio público

No Reino Unido, a Hansons Auctioneers vai promover um novo leilão contendo uma peça muito peculiar na história britânica. No dia 11 de dezembro deste anoplanejam leiloar um charuto usado pelo ex-primeiro ministro Winston Churchill.

Os cigarros foram uma marca registrada de Churchill, que quase nunca era visto sem seus charutos, principalmente em fotografias.

O tabaco foi recuperado por Violet King, que trabalhava como arrumadeira em um teatro no Reino Unido. Em 1953, o ex-primeiro ministro assistiu ao musical Call Me Madam com sua esposa. Durante a apresentação, ele acendeu o cigarro, tragou uma vez, mas derrubou-o no chão. A mulher resgatou a raridade e o guardou consigo.

Crédito: Hansons Auctioneers

 

Ainda para comprovar a autenticidade da peça, King escreveu ao escritório de Churchill. Além disso, também pediu autorização para falar sobre o achado a outras pessoas. Eles responderam confirmando ambas as questões. Assim, a arrumadeira guardou o charuto muito bem preservado por mais de meio século.

A Hansons Auctioneers espera alcançar um preço entre seis e sete mil dólares (aproximadamente R$ 25 e 27 mil).


Saiba mais sobre a trajetória de Churchill por meio de 5 obras:

1. Churchill: Uma vida vol. I, de Martin Gilbert (2016) - https://amzn.to/32qcC8B

2. Churchill: Walking with Destiny, de Andrew Roberts (2018) - https://amzn.to/33BP8O3 

3. Churchill e a ciência por trás dos discursos: Como Palavras se Transformam em Armas, de Ricardo Sondermann (2018) - https://amzn.to/2oPAzHV

4. Churchill & Orwell: A luta pela liberdade, de Thomas E. Ricks (2019) - https://amzn.to/2oPnFK1

5. O fator Churchill, de Boris Johnson (2015) - https://amzn.to/33wGBvQ

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível de produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.