Notícias » Mundo

Chefe da ONU cita vacinação desigual e lembra que pandemia ainda não acabou

Fala foi feita por António Guterres, secretário-geral da ONU, nesta quarta-feira, 9

Paola Orlovas, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 09/03/2022, às 16h18

António Guterres, secretário-geral da ONU
António Guterres, secretário-geral da ONU - Getty Images

António Guterres, secretário-geral da ONU, afirmou que a pandemia da covid-19 ainda não acabou e que pode continuar, durante fala feita nesta quarta-feira, 9. O chefe da ONU atribui a possibilidade da pandemia continuar a à distribuição “escandalosamente desigual” de vacinas. As informações são da AFP.

Continuando a fala feita por comunicado, Guterres aborda os problemas da pandemia, como as mortes por covid-19 e a degradação da saúde mental da população mundial:

Os estragos mais trágicos da pandemia foram na saúde e na vida de milhões de pessoas, com mais de 446 milhões de casos no mundo, mais de seis milhões de mortes confirmadas e outro grupo incontável, que lida com uma deterioração de sua saúde mental”, disse.

Para António Guterres, “seria um grave erro pensar que a pandemia acabou”, mesmo que tenha havido um “desenvolvimento e distribuição de vacinas extraordinariamente rápidos” e  “medidas de saúde pública sem precedentes”, que foram capazes de controlar a propagação do coronavírus em diversas partes do mundo. 

Guterres acredita que “a distribuição de vacinas ainda é escandalosamente desigual” e o secretário-geral da ONU ainda lembrou que, embora 1,5 bilhão de doses sejam produzidas por mês, “cerca de 3 bilhões de pessoas ainda esperam sua primeira dose”.