Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / África do Sul

Chefe de empresa de caça é morto a tiros na África do Sul

O homem foi encontrado com “sangue na cabeça”, segundo autoridades

Isabelly de Lima, sob supervisão de Wallacy Ferrari Publicado em 05/07/2022, às 17h30

Caçador com companheiro após abater leão - Divulgação / Facebook / Riann Naude
Caçador com companheiro após abater leão - Divulgação / Facebook / Riann Naude

Por possuir uma vasta diversidade de animais e também por sua flora diferente, a África do Sul é um ponto chamativo para turistas, mas atrai também caçadores de todas as partes do mundo. A prática perigosa tem tomado grandes proporções, mas isso não acabou bem para o chefe de uma empresa que organiza viagens de caça.

Riaan Naude, 55, foi encontrado morto ao lado de seu veículo em Marken Road, na província de Limpopo. Segundo informações da organização sem fins lucrativos Heritage Protection Group, Naude foi morto depois de parar na beira da estrada devido a um superaquecimento do motor de seu veículo.

Logo em seguida, dois homens saíram de uma caminhonete branca e um deles atirou no caçador. Perto do veículo foram encontrados dois rifles de caça, segundo a agência local Maroela Media. A motivação do crime ainda é desconhecida.

Meio lucrativo

Mamphaswa Seabi, tenente-coronel da polícia afirmou que os agentes que estavam no local encontraram o cadáver de Riaan deitado com o rosto para cima e com “sangue na cabeça e no rosto”. O local em que o homem recebeu os tiros também não foi informado.

A empresa de Naude lucrava muito com a caça na região. A Pro Hunt Africa cobrava até US$ 2.500 por excursões de caça, sendo US$ 350 por dia para poder caçar. Alguns outros valores altos são por animais mais exóticos, como crocodilos e girafas, com preços de US$ 2.500 e US$ 1.500, respectivamente.