Notícias » Ásia

China e Índia acordam em reduzir tensões na fronteira do Himalaia

Um conflito entre os exércitos dos países deixou dezenas de mortos, explicitando um problema de divisa ainda não resolvido

André Nogueira Publicado em 23/06/2020, às 10h22

Soldados indianos na fronteira
Soldados indianos na fronteira - Divulgação/Youtube

Após uma semana do conflito na fronteira que deixou dezenas de mortos entre chineses e indianos, os dois países concordaram em reduzir as tensões na divisa no Himalaia. O Ministro de Relações Exteriores, Zhao Lijian, teria conversado com comandantes militares dos dois lados e declarou oficialmente que "concordaram em tomar as medidas necessárias para promover o esfriamento da situação".

"A realização desta reunião mostra que os dois lados querem lidar com suas divergências, gerenciar a situação e diminuir a situação por meio de diálogo e consultas", disse Zhao em entrevista coletiva nesta terça-feira, 23. Os lados teriam trocado “opiniões francas e profundas”, chegando a um consenso em relação à busca pela manutenção da paz e da tranquilidade.

Do lado da Índia, a mídia confirma a busca por conciliação com os chineses, para o "consenso mútuo para desengatar” a tensão na fronteira. "As negociações de nível de comandante do corpo de funcionários entre Índia e China foram realizadas ontem em Moldo em uma atmosfera cordial, positiva e construtiva", afirma o comunicado oficial da imprensa. 

Área das tensões / Crédito: Wikimedia Commons

 

"Houve um consenso mútuo para se retirar. Modalidades de retirada de todas as áreas de atrito no leste de Ladakh foram discutidas e serão levadas adiante por ambos os lados".

Segundo o veículo Press Trust India, a reunião foi centralizada entre o tenente-general indiano Harinder Singh e o major-general Liu Lin, comandante do Distrito Militar do Tibete. A conciliação foi uma proposta levantada durante reunião dos líderes nacionais da diplomacia de Índia, China e Rússia, em conferencia virtual.