Notícias » Ásia

China tem maior acréscimo de casos de covid-19 em dois meses

O país asiático conseguiu estabilizar a alta de registros, mas sofre com a imigração ilegal por fronteiras

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 05/04/2021, às 10h51

Imagem ilustrativa do coronavírus
Imagem ilustrativa do coronavírus - Wikimedia Commons

A China voltou a registrar acréscimos de casos do novo coronavírus após estabilizar a incidência do país; de acordo com o portal UOL, o governo do país asiático comunicou nesta segunda-feira, 5, que a maior alta diária de novos casos de covid-19 em mais de dois meses foi registrada pelos órgãos de saúde.

A alta é ligada a Ruili, um município com 210 mil habitantes, que faz fronteira com Mianmar, no sudoeste da província de Yunna, e teve um aumento notável, chegou a ter a quarentena domiciliar ordenada por autoridades locais, além de destinar testes para a região e fechar as entradas da cidade.

Bem distinto dos números na mesma data de 2020, o último domingo, 4, teve 15 novos casos notificados, totalizando 32 casos novos desde 31 de janeiro — sendo 11 deles, infectados importados do país vizinho.

O monitoramento aponta que, dada a crise sanitária de Mianmar, a imigração ilegal é uma alternativa para os países ao redor que não conseguem controlar a disseminação do novo coronavírus como fez a China.

Sobre a covid-19

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano. 

De lá pra cá, a doença já infectou 131 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 20,5 milhões de mortes, sendo mais de 331 mil delas apenas no Brasil, que está no 2º lugar entre os países onde mais pessoas morreram por complicações da Covid-19.