Notícias » Bizarro

Chinês é acusado de vender o próprio filho para tirar férias com a esposa

Após divórcio, o homem vendeu a criança do relacionamento por cerca de 132 mil reais, gastos em uma expedição com a nova companheira

Redação Publicado em 04/05/2021, às 07h00

Imagem ilustrativa de yuanes chineses
Imagem ilustrativa de yuanes chineses - Domínio Público / PxHere

O casamento estava em decadência quando Xie decidiu se separar da mulher, que juntos, tinham dois filhos. O homem ficou com a guarda do menino, Jiajia, de dois anos de idade, e a mulher com a guarda da menina.

O South China Morning Post, jornal local, divulgou que o homem foi acusado de vender a criança que estava sob sua guarda alegando que precisava aliviar os custos e as responsabilidades que o menino gerava.

O pai do menino trabalhava em uma cidade vizinha e o deixava sob custódia dos irmãos mais velhos grande parte do dia. Até que, certa vez, Xie pegou o menino justificando aos irmãos que a mãe queria vê-lo.

Alguns dias depois Jiajia não voltou pra casa, o que causou estranhamento aos irmãos. Um deles mandou mensagens; não obteve resposta, descobriu que o menino não estava com a mãe e então contatou a polícia. Os agentes descobriram que a criança, de apenas dois anos de idade, havia sido vendida por 158.000 yuanes, equivalente a 132,6 mil reais, para um casal da mesma região.

Segundo as autoridades, Xie utilizou o dinheiro da venda para sair de férias com sua nova esposa. Jiajia foi devolvido ao seu tio no final de abril e o casal que comprou a criança está passando por "medidas coercivas criminais".