Notícias » Rússia

Cientista russo que estava trabalhando em vacina contra covid morre esfaqueado

Os eventos que levaram à sua morte ainda não foram inteiramente explicados

Ingredi Brunato Publicado em 22/12/2020, às 15h00

Fotografia do cientista Alexander Kagansky
Fotografia do cientista Alexander Kagansky - Divulgação/ Youtube

No último sábado, 19, o cadáver de Alexander Kagansky, de 45 anos, foi encontrado caído na base de um prédio, com indícios de que ele havia sido esfaqueado e em seguida sofrido uma queda. 

O russo era um geneticista e biologista molecular de renome que, entre outros projetos, estava trabalhando na imunização contra o novo coronavírus. Sua morte foi divulgada primeiro pelo Fontanka, um jornal local. 

Segundo o que se sabe até agora, Alexander estava naquele prédio visitando um amigo, Igor Ivanov, que estava comemorando seu aniversário naquele dia. O homem, que é jornalista, acabou detido pela polícia por ser considerado um suspeito, porém, já foi liberado. 

Ivanov afirmou que recebeu o cientista em seu apartamento, e estava preparando o café da manhã enquanto o amigo usava o banheiro. Na volta, por algum motivo, ele esfaqueou a si mesmo e pulou da janela. 

A polícia russa pretende continuar as investigações, para esclarecer melhor os eventos que levaram à morte de Alexander, que é também conhecido como um pioneiro da área da epigenética sintética, uma vertente da ciência biomédica.