Notícias » Mundo

Cientistas chineses discutem como tornar viagens espaciais tão comuns quanto aviões até 2045

O plano para concretizar esse objetivo ambicioso foi apresentado por ninguém menos que o diretor da agência espacial estatal chinesa, em uma conferência realizada na sexta passada

Ingredi Brunato Publicado em 21/09/2020, às 16h08

Imagem ilustrativa de foguete.
Imagem ilustrativa de foguete. - Divulgação/ Pxhere

Na última sexta, 18, o cientista Bao Weimin anunciou na Conferência Espacial da China 2020 que daqui a vinte e cinco anos as viagens espaciais poderão ser tão cotidianas quanto é o transporte aéreo hoje. Através dessas viagens super rápidas, as pessoas poderiam ir para qualquer parte do globo em menos de uma hora. 

Bao, que é também diretor da Comissão de Ciência e Tecnologia da gigante agência espacial estatal chinesa, a CASC, foi à conferência já com um plano em mãos para que se chegue nesse ponto. 

Ele propôs três etapas, com avanços tecnológicos específicos ocorrendo até 2025, o estabelecimento de uma escala global de viagens espaciais similar à de aviões comerciais até 2035, e a elaboração de um sistema que coordene todas essas viagens espaciais até 2045. 

Segundo o visionário diretor da agência espacial chinesa, a ideia de milhares de vôos espaciais acontecendo anualmente, transportando dezenas de milhares de passageiros, pode se tornar uma realidade através do uso das tecnologias de vôo hipersônico e de foguetes reutilizáveis.