Notícias » Antiguidade

Cientistas descobrem colônias com mais de 10 bilhões de bactérias ao sul do Oceano Pacífico

Localizadas dentro de rochas milenares, as pequenas criaturas sobrevivem apenas de materiais naturais

Penélope Coelho Publicado em 24/04/2020, às 16h58

Bactérias esverdeadas encontradas dentro de fragmentos de rocha no mar
Bactérias esverdeadas encontradas dentro de fragmentos de rocha no mar - Divulgação

Em meio á rochas com mais de 100 milhões de anos, localizadas no Oceano Pacífico, pesquisadores se depararam com imensas colônias de bactérias que se alimentam de migalhas de materiais orgânicos.

Segundo estudo liderado pelo Departamento de Ciências da Terra e Planetárias da Universidade de Tóquio, estima-se que dentro dessas rochas, existam mais de 10 bilhões de bactérias. No entanto, o espaço que elas ocupam é mínimo: apenas um centímetro cúbico. Em comparação ao organismo humano, essa é a mesma densidade de bactérias encontradas dentro de um intestino. 

A escolha desses micróbios de permanecerem nas pedras, provavelmente não aconteceu de maneira aleatória. De acordo com os pesquisadores do estudo, o local foi escolhido pelos microrganismos pelo material orgânico argiloso encontrado em suas fendas.

Exemplar da fina fatia de rocha / Crédito: Divulgação 

 

O método para desenvolver a pesquisa nas rochas do Pacífico Sul foi diferente do que o usual, os estudiosos não pulverizaram as bactérias, e sim, revestiram as amostras de pedras com um uma resina de epóxi especial, cortando-as em pequenas fatias.

A partir dai outra surpresa: as bactérias apresentaram uma cor esverdeada e brilhante, em formatos de esferas retorcidas dentro das rochas. Para os cientistas, esse verde veio do próprio DNA da bactéria, e não dos fragmentos da rocha.

Ao redor dos micróbios foram encontrados pedaços minúsculos de argila, elemento essencial para a sobrevivência dessa colônia. De acordo com análises genéticas, existem diferentes espécies de bactérias vivendo dentro dessas pedras há muitos anos.