Notícias » Paleontologia

Cientistas descobrem qual foi a última refeição de um filhote de cachorro de 14 mil anos

O animal é da Era do Gelo e provavelmente se alimentou de um dos últimos remanescentes de uma espécie que estava à beira da extinção

Vanessa Centamori Publicado em 18/08/2020, às 09h03

Filhote de cachorro da Era do Gelo
Filhote de cachorro da Era do Gelo - Divulgação/Servei Fedorov et.al

Segundo informações da CNN, um impressionante filhote de cachorro da Era do Gelo, muito bem preservado, foi estudado por pesquisadores suecos e russos, que descobriram qual foi a última refeição do cãozinho de 14 mil anos. 

Os resultados foram publicados no jornal científico Current Biology. O canino, que os pesquisadores julgam ser um cão primitivo ou talvez um lobo, foi encontrado pela primeira vez em 2011, em Tumat, na Sibéria. Mas, somente recentemente os especialistas notaram que havia dentro da barriga do cão um pedaço de tecido peludo. 

Dentes do canino da Era do Gelo / Crédito: Centre of Paleogenetics/Twitter 

 

Após coletarem uma amostra desse material peludo no estômago do animal, especialistas do Museu de História Natural de Estocolmo concluíram que o cachorro se alimentou de uma carcaça de rinoceronte-lanudo (Coelodonta antiquitatis). 

Primeiramente, os pesquisadores acreditavam que se tratava de um leão-das-cavernas (Panthera spelaea), porém logo viram que esse não era o caso. "Temos um banco de dados de referência e DNA mitocondrial de todos os mamíferos, então verificamos os dados da sequência e os resultados obtidos — foi uma combinação quase perfeita para o rinoceronte-lanudo", explicou à CNN, Love Dalen, co-autor do estudo. 

Um exame de datação por radiocarbono revelou ainda que o rinoceronte tinha 14,4 mil anos."Este cachorro, já sabemos, foi datado de cerca de 14 mil anos atrás. Também sabemos que o rinoceronte lanoso foi extinto há 14 mil anos. Portanto, potencialmente, este cachorro comeu um dos últimos rinocerontes lanosos remanescentes", observou o pesquisador.