Notícias » Arqueologia

Cientistas encontram fóssil de megaraptor de 70 milhões de anos na Argentina

Exímios caçadores, os dinossauros viveram na Patagônia e tinham uma fisionomia bastante diferente de outros carnívoros

Pamela Malva Publicado em 13/05/2020, às 14h40 - Atualizado às 14h51

Ilustração de um megaraptor
Ilustração de um megaraptor - Wikimedia Commons

Depois de suas semanas escavando, cientistas argentinos encontraram o fóssil de um megaraptor, dinossauro que viveu na Patagônia há 70 milhões de anos. A expedição aconteceu na província de Santa Cruz, na Argentina.

Segundo os especialistas, os restos encontrados estavam bem preservados e pertenciam à um indivíduo com 10 metros de comprimento. Em média, esse era o tamanho dos maiores megaraptores, enquanto os menores mediam cerca de 5 metros.

Membros da expedição ao lado do fóssil / Crédito: Divulgação

 

O primeiro espécime do dinossauro foi encontrado por Fernando Novas, diretor chefe do Laboratório de Anatomia Comparada do Museu Argentino de Ciências Naturais, em 1996. Foi o cientista, inclusive, quem cunhou o nome da espécie pré-histórica.

De acordo com os cientistas, os megaraptores eram caçadores natos e tinham uma dieta carnívora. Mas, ao contrário dos Tiranossauros Rex, por exemplo, os indivíduos “eram mais magros, mais preparados para a corrida”, explicou Rolando Aranciaga, integrante da equipe arqueológica do Museu.

Arqueólogo ao lado do fóssil encontrado / Crédito: Divulgação