Notícias » Astronomia

Cientistas especulam que supernovas teriam causado extinção no fim do Período Devoniano

Evidências apontam para uma redução na biodiversidade da época durante cerca de 300.000 anos

Ingredi Brunato Publicado em 19/08/2020, às 17h00

Representação artística de uma supernova.
Representação artística de uma supernova. - Divulgação/ Pixabay

Em uma pesquisa recente publicada no Proceedings of the National Academy of Sciences, cientistas trazem a teoria de que uma supernova — ou mais de uma — poderia ter sido responsável por extinções em massa na porção final do Período Devoniano, dentro da Era Paleozoica. 

Os pesquisadores encontraram esporos de plantas queimados em rochas pertencentes à época, e, mais que isso, as queimaduras pareciam ser causadas por raios ultravioletas. Ou seja, pelo Sol. Os vestígios apontavam portanto para um evento massivo, capaz de destruir a camada de ozônio de forma duradoura. 

Segundo diz o estudo, eventos como o aquecimento global ou um vulcanismo em grande escala, embora também fossem capazes de danificar gravemente a camada de ozônio, não teriam a mesma durabilidade. Por isso, a teoria elaborada foi a explosão de não só uma, mas pelo menos três supernovas seguidas a apenas 65 anos-luz de distância da Terra. 

Isso porque, cada supernova individualmente, a essa proximidade, é capaz de causar danos de até 100.000 anos à camada de ozônio. No entanto, as evidências encontradas nas rochas do Período Devoniano indicam um declínio na biodiversidade da fauna terrestre que teria durado cerca de 300.000 anos. Por isso, os cientistas precisavam de uma hipótese envolvendo múltiplas catástrofes. 

“Isso é perfeitamente possível. Estrelas massivas geralmente ocorrem em aglomerados com outras estrelas massivas, e outras supernovas provavelmente ocorrerão logo após a primeira explosão ”, escreveu Jesse Miller, um estudante do Departamento de Astronomia na Universidade de Illinois, e que estava envolvido no estudo. 

O próximo passo da pesquisa é analisar as rochas devonianas em busca de isótopos que só chegariam à Terra no caso de uma explosão cósmica, a fim de juntar evidência suficiente para apontar com certeza que foram supernovas que causaram a extinção em massa do período.