Notícias » Astronomia

Cientistas mapeiam halo gasoso de galáxia próxima a Via Láctea

Estudo revela mais informações sobre o halo de nossa vizinha, a galáxia Andrômeda - e a que distância ele está de nós

Ingredi Brunato Publicado em 31/08/2020, às 17h07

Imagem ilustrativa de galáxia Andrômeda.
Imagem ilustrativa de galáxia Andrômeda. - Divulgação/Pexels

Em um artigo publicado no The Astrophysical Journal,  pesquisadores revelaram que o halo de plasma em volta da galáxia Andrômeda atualmente se estende em até 1,3 milhões de anos-luz na nossa direção - muito próximo da Via Láctea. A descoberta foi possível com o uso do telescópio espacial Hubble, da NASA. 

Segundo o estudo, o halo gasoso da galáxia vizinha está tão perto que se fosse possível vê-lo a olho nu, teria três vezes a largura da Ursa Maior. O artigo também informa que sua aparência seria de uma mancha de luz com formato de charuto no céu. 

Para chegar às conclusões, os cientistas usaram 43 quasares como ponto de referência para analisar o halo de Andrômeda. Quasares são pontos de luz intensa no espaço, que as teorias atuais especulam virem de buracos negros ocupando o centro de galáxias. Como buracos negros “engolem” tudo que está ao seu redor, essa luz intensa viria dessas galáxias sendo pouco a pouco absorvidas. 

Fotografia mostrando os quasares em vermelho, observados através do halo (em roxo) da galáxia Andrômeda. Crédito: Divulgação/NASA

 

Observando os quasares através do halo gasoso da galáxia, eles puderam descobrir pontos onde a luz era mais absorvida, e pontos onde era menos, assim mapeando o espaço ocupado pelos gases que cercam Andrômeda. 

“Este é realmente um experimento único, porque apenas com Andrômeda temos informações sobre seu halo ao longo não apenas de uma ou duas linhas de visão, mas de mais de 40”, disse Nicolas Lehner, o líder do estudo. “Isso é inovador para capturar a complexidade de um halo de galáxia além de nossa Via Láctea.”

Ainda segundo os cientistas, o fato das duas galáxias (a nossa e a de Andrômeda) estarem em rota de colisão não é uma informação nova: especula-se que ambas irão se fundir dentro de quatro bilhões de anos, e se tornar uma única galáxia gigante.