Notícias » Brasil

‘Clientelismo do governo’, diz deputado sobre o Bolsa Família

Ricardo Barros criticou o programa e defendeu seu provável sucessor, o Auxílio Brasil

Fabio Previdelli Publicado em 08/11/2021, às 14h40

O deputado Ricardo Barroso
O deputado Ricardo Barroso - Divulgação/Agência Senado

Na manhã desta segunda-feira, 8, o deputado federal Ricardo Barros afirmou que a segunda votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios será realizada amanhã na Câmara. A aprovação da PEC, segundo o líder do governo, é um dos principais pontos para a liberação orçamentária necessária para a criação do Auxílio Brasil. 

O programa criado no governo Jair Bolsonaro servirá para substituir o Bolsa Família. Segundo Barros declarou, em entrevista à GloboNews: “O que o Auxílio Brasil quer é que depois de um tempo não se precise mais do governo”. 

O Bolsa Família era clientelismo do governo”, completou o deputado em crítica ao projeto criado por gestões anteriores. 

"A democracia é assim: toda vez que a oposição perde, ela tenta criar um terceiro turno. Querem votar contra os R$ 400 de auxílio, contra socorrer os mais pobres, contra a rampa de ascensão social", finalizou. 

Segundo explica o UOL, a apreciação do texto da PEC já foi adiada em diversas ocasiões por conta do baixo número de deputados presentes em sua votação. Porém, agora, Barroso diz que a votação acontecerá independente de quórum — já que ideia é implantar o Auxílio Brasil ainda em dezembro, na virada para o ano eleitoral.