Notícias » Cultura

Coletivo de Artistas Transmasculines lança Carta-Manifesto e primeiras ações culturais

Conhecido como CATS, o coletivo é composto por 50 artistas e tem o objetivo de reverter o cenário de invisibilidade vivido por esse grupo. Confira o teaser

Redação Publicado em 04/09/2020, às 10h32

Imagem do teaser
Imagem do teaser - Divulgação/ Youtube/ CATS - Coletivo de Artistas Transmasculines

Nesta sexta-feira, 4, o CATS – primeiro Coletivo de Artistas Transmasculines do Brasil, lança uma Carta-Manifesto  — também em vídeo — nas redes sociais do grupo dando início as atividades do coletivo.

O CATS surgiu quando os artistas homens trans Leo Moreira Sá ( ator, dramaturgo e lighting designer) e Daniel Veiga ( dramaturgo, ator e diretor) se encontraram no início deste ano,  para buscarem uma maneira dw reverter o cenário de invisibilidades que insiste em apagar artistas transmasculines no país.

Depois de conversas e trocas sobre suas vivências Leo e Daniel elaboraram uma Carta-Manifesto com objetivo de alterar essa situação, e, além disso, gerar mais oportunidades de trabalho para esses, inclusive em produções próprias; a fim de divulgar plataformas com informações sobre os artistas, além do acompanhamento e da fiscalização de políticas públicas que atendam essas demandas.

Morte e vida de homens trans e transmasculines

A decisão de trazer luz à discussão sobre a invisibilidade transmasculina nas artes foi impulsionada por um acontecimento trágico: o suicídio de Demétrio Campos, um jovem ator e bailarino trans negro periférico.

Nascido em uma comunidade do Rio de Janeiro, Demétrio havia se mudado recentemente para São Paulo e estava tentando impulsionar sua carreira artística quando o isolamento provocado pela pandemia do novo coronavírus causou o cancelamento de diversos projetos na área, o que o deixou em uma situação ainda mais precária.

Um estudo realizado pelo Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT do departamento de Antropologia e Arqueologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) concluiu que 85,7% dos homens trans já pensaram em tirar a própria vida e até mesmo já tentaram.

Enquanto travestis e mulheres trans são assassinadas em números que só aumentam a cada dia, homens trans são suicidados pela transfobia estrutural. Esses números alarmantes não são divulgados, o que contribui para a falta de empatia em relação à essas pessoas.

A morte de Demétrio e esses dados assustadores trouxeram a certeza de que era preciso iniciar um movimento que questionasse a ausência de projetos e a falta de interesse dos setores culturais com relação aos corpos-vozes-estéticas transmasculines. 

Para dar potência a esse movimento, que só teria sentido se fosse um instrumento político que pudesse aglutinar e mover artistas em torno da luta comum contra a invisibilidade da comunidade transmasculine, Leo e Daniel criaram o CATS (Coletivo de Artistas Transmasculines).

Com os primeiros encontros virtuais dos CATS, aos poucos redes de contato foram criadas. Atualmente, o CATS já reúne 50 integrantes além de trabalhar em suas primeiras diferentes ações, como uma série de lives e outros conteúdos.

E isso é só o começo, pois o CATS já tem muitas atividades previstas para alavancar a inserção de artistes transmasculines e homens trans no mercado de trabalho e nos campos da construção de imaginários, representatividades e pluralidades do fazer artístico e de corpos sociais respeitados pela sociedade. 

Confira o teaser abaixo.

 

 

Confira a ficha técnica.

Texto: Leo Moreira Sá E Daniel Veiga 

Edição: Dê Kelm

Sonorização: OBRUN @OBRUN

Integrantes 

Leo Moreira Sá @leo_moreira_sa – Ator, light‐designer, produtor, diretor, dramaturgo e jornalista.

Daniel Veiga @veiga_lacunas – Ator, docente, dramaturgo e diretor.

Rodolpho Corrêa @_rolfis – Ator, performer e arte‐educador. 

Lui Castanho @luicastanho – Roteirista, ator e circense.

Noam Scapin @noamscapin – Artista circense.

Juno Nedel @junonedel – Artista circense, jornalista e historiadore.

Tiely @tielyqueen – Multi‐artista e historiador.

Bernardo de Assis @berdeassis – Ator e diretor.

Gil Porto Pyrata @g.pyrata – performer multiartista, escritore e arte‐educadore.

Lyam S. @_lyam_s – Artista plástico, filosofo e escritor.

Thiago Peniche @thiagopeniche – Youtuber.

Lino Arruda @monstrans_hq – Quadrinista e artista visual.

Gionni Blasphemy @gionni.blasphemy – Ator.

Rosa Caldeira @roseirando – diretor, fotógrafo e cineasta.

Carú de Paula @carudpaula – poeta e psicólogo.

Dê Kelm @de.kelm – cineasta.

Lam Matos @lammatos

Naná DeLuca @nanadeluca – escritore, educadore popular e jornalista.

Rao Ni @rao.nii – xilógrafo e iluminador cênico. 

Kaique Theodoro @kaique.theodoro – cantor, ator, modelo e agente.

Bernardo Enoch @bernoch_ – Fotografo e videomaker.

Pedro Lucas @petter_pain – artista audiovisual, aderecista e cenógrafo.

Xande Peixe @xandepeixec – Artesão.

Kairos de Castro @kaosdekairos – Escritor, poeta e organizador do TRANSarau.

Gustavo Deon @gusdeon – Ator, diretor e arte‐educador.

Caue @cauemonteiro90 – Fotografo, videomaker e cineasta.

Nay Mendl @neymendl – cineasta.

Mickael Pederiva @mcklpdrv – Produtor e cantor.

Dallas Guebara @emovoltou – Musicista, compositore, arte‐educadore e cantore.

Vicente Lara @viceny – artista visual e plástico.

Vitor Fernandes @trans.cendente – Artista de instalação, pintor e performer.

Marcos Vinicius @mvinicius_belar 

Hevi Aqualtune @hevisivel – Poeta, escritor, artista plástico e roteirista.

Lucas Henrique @garu.dj – DJ e Guitarrista.

Gustavo Monteiro @guga_ooficial – Cantor, compositor, pintor e ator.

Seu Vérciah @seuverciah – Cantor e compositor.

Jen Mascarenhas @jen.ms – Diretor, produtor e roteirista.

Fernando Aquino @pamellasaphic - Drag queen, performer, artista visual, criador de figurinos e customizador.

Pedro Magalhães @iampedrin - músico, escritor e fotógrafo.