Notícias » Colômbia

Colombiano sem doença terminal é autorizado a morrer por eutanásia

O homem de 60 anos teve dois AVCs e afirma que seus dias são de ‘sofrimento e dor’

Penélope Coelho Publicado em 07/01/2022, às 07h47

Fotografia de Victor Escobar
Fotografia de Victor Escobar - Divulgação/Twitter/VictorEscobarYDiana

Nesta sexta-feira, 7, às 17 horas da tarde, o colombiano Victor Escobar Prado, de 60 anos, deve se tornar a primeira pessoa sem doença terminal a morrer através de eutanásia em seu país.

O idoso sofre as consequências de dois acidentes vasculares cerebrais (AVCs), ocorridos entre 2007 e 2008. Além disso, há quatro anos Victor foi vítima de um grave acidente de carro, que piorou seu quadro. Durante dois anos, o homem lutou na Justiça para ter o direito de que seu pedido para eutanásia fosse aprovado.

De acordo com informações publicadas pelo portal de notícias g1, Escobar enfrenta dificuldades de locomoção, com o lado esquerdo de seu corpo totalmente paralisado. Além disso, sofre de doenças como fibrose pulmonar, diabetes e hipertensão. O colombiano ainda tem problemas cardíacos e já sofreu trombose.

Há dois anos, a esposa de Prado, Diana, usa as redes sociais para relatar as dificuldades enfrentadas do marido. Em entrevistas, o homem — que expele sangue pelos pulmões e que perdeu a memória — afirma que seus dias são de “sofrimento e dor”.

Sabe-se que desde 1997, a eutanásia é autorizada na Colômbia. Entretanto, sem doenças terminais o caso é diferente. Antes de Victor,Martha Sepúlveda, de 51 anos, que sofre com esclerose lateral amiotrófica (ELA), tentou realizar o procedimento. Mas, teve sua eutanásia cancelada algumas horas antes.