Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Guerra da Ucrânia

Com a Guerra da Ucrânia, 200 apartamentos vazios na Escócia abrigarão ucranianos

Conselho escocês ofereceu 200 apartamentos vazios que deverão abrigar 4.500 ucranianos que fogem da guerra

Luisa Alves, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 11/07/2022, às 16h37

Torre High Coats em Coatbridge - Google Maps
Torre High Coats em Coatbridge - Google Maps

Após iniciativa de conselho escocês, duas torres de edifícios que seriam demolidas no país, serão reformadas e destinadas à pessoas que fogem da Guerra na Ucrânia. Os primeiros apartamentos devem ser concluídos em seis semanas.

A torre High Coats em Coatbridge e a Birkshaw em Wishaw, na Escócia, estavam sendo preparadas para a demolição, mas serão modernizadas e reformadas para abrigarem ucranianos. O Conselho escocês de North Lanarkshire usará £ 5 milhões de financiamento do governo para o investimento.

De acordo com a BBC News, Jordan Linden, líder do conselho, explica que o objetivo é fornecer às pessoas que fogem da Guerra, a oportunidade de viverem em suas próprias casas ao invés de hotéis.

"Como o maior proprietário do conselho da Escócia, estamos bem posicionados para entregar a reintegração dessas casas e estou ansioso para receber as pessoas nas próximas semanas", disse.

Apartamentos de "Alto padrão"

O programa deverá se expandir para até 200 acomodações. De acordo com Jordan Linden para a BBC News, o trabalho continuará mesmo depois da ocupação dos locais. E os funcionários do conselho junto de parceiros oferecerão apoio e aconselhamento aos ucranianos.

O ministro do governo escocês para refugiados ucranianos, Neil Gray, agradeceu ao Conselho pela iniciativa.

"Agradecemos esta contribuição do Conselho de North Lanarkshire. Essas casas desempenharão um papel vital no fornecimento de acomodações de longo prazo e apoio aos deslocados da Ucrânia", disse.

Os refugiados ucranianos poderão deslocar-se para a Escócia por meio de um esquema de superpatrocínio que os oferecerá apartamentos de "alto padrão". Antes, a própria população recebia ucranianos em suas casas.

"O governo escocês e seus parceiros estão fornecendo apoio prático e boas-vindas a mais de 4.500 pessoas deslocadas por meio de nosso esquema de superpatrocínio.", disse Neil Gray.

“Garantir que temos um suprimento de casas seguras e protegidas em parceria com conselhos, parceiros de habitação e voluntários individuais é uma parte vital deste trabalho, e somos gratos a todos que estão apoiando isso”, acrescentou.