Notícias » Chile

Com aprovação para mudar Constituição vigente, Chile derruba herança da ditadura Pinochet

Com 78% de aprovação, essa pode ser a primeira Constituição a ser formada por um caráter equitativo entre mulheres e homens

Giovanna de Matteo Publicado em 26/10/2020, às 08h00

Manifestação no Chile celebra fim da constituinte de Pinochet
Manifestação no Chile celebra fim da constituinte de Pinochet - Divulgação / Twitter

No último domingo, 25, a população chilena votou a oferta das instituições políticas para frear a insatisfação popular que havia se instalado no país, gerando diversos conflitos violentos e protestos.

A solução encontrada foi uma proposta de mudança da constituição vigente, que foi implementada por Augusto Pinochet durante sua ditadura militar, memória e herança dos tempos sombrios que se alastraram no Chile durante as décadas de 70 a 90. 

Já com 90% das urnas apuradas, o povo mostrou uma vitória para abolir a carta fundamental: 78% foram a favor da mudança, contra 22% que prefeririam manter a constituinte.

Também foi por meio democrático a escolha de quem redigirá a nova convenção constitucional. O resultado da votação determinou que a Assembleia Constituinte será composta por 155 pessoas, que serão eleitas já no próximo mês. Essa pode ser a primeira constituição a ser formada por um caráter equitativo entre mulheres e homens.

“Hoje os cidadãos, a democracia e a paz venceram a violência”, declarou o presidente Sebastián Piñera na noite de domingo, junto de seu gabinete. No mesmo momento, pessoas saíram às ruas da Praça Itália para comemorar a vitória.