Notícias » Entretenimento

Mais lidas: Documentário da Netflix investiga momentos finais de Marilyn Monroe

“O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas” apresenta detalhes inéditos sobre os últimos momentos de vida de um dos maiores ícones de Hollywood

Fabio Previdelli Publicado em 05/04/2022, às 17h36 - Atualizado em 10/04/2022, às 09h00

Imagem do documentário “O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas” (Netflix)
Imagem do documentário “O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas” (Netflix) - Divulgação/Netflix

Conhecida por seus documentários surpreendentes, a Netflix divulgou imagens sobre um dos seus grandes lançamentos do mês:“O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas”, que chega à plataforma no próximo dia 27.

Traçando os últimos momentos de vida de um dos maiores ícones de todos os tempo de Hollywood, a produção promete apresentar um ponto de vista único sobre a vida glamorosa e cheia de polêmicas de Monroe; além, é claro, de desvendar tudo o que se passou no dia de sua morte.

Imagem do documentário “O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas” (Netflix)/ Crédito: Divulgação/Netflix

“Durante décadas, a morte trágica de Marilyn Monroe deu origem a teorias da conspiração e rumores que diversas vezes acabaram ofuscando seu talento e inteligência. Agora, gravações inéditas das pessoas que a conheciam melhor reconstroem suas últimas semanas, dias e horas, neste documentário que vai lançar luz sobre a vida glamourosa e complicada de um ícone de Hollywood, e oferecer uma nova perspectiva sobre aquela fatídica noite”, descreve a sinopse da produção.


A morte de Monroe

Em um quarto amplo em Los Angeles, na Califórnia, uma cama larga, repleta de lençóis macios, chamava atenção. Bem no centro do colchão aconchegante, Marilyn Monroe, então aos 36 anos, parecia dormir. Foi esse o cenário encontrado por Ralph Greenson.

Naquele dia, em agosto de 1962, há 59 anos, o psiquiatra da atriz foi chamado por Eunice Murray, governanta de Marilyn. Surpresa por não conseguir falar com a artista ao bater em sua porta, a mulher teria acionado o profissional.

Ao invadir os aposentos da atriz, Greenson encontrou o símbolo de Hollywood sem roupas, cercada por uma cena trágica. Junto dela na cama, inúmeros frascos de remédios chamaram atenção do psiquiatra. Logo ele percebeu o inevitável: depois de tomar  pílulas, a atriz estava morta.

Imagem do documentário “O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas” (Netflix)/ Crédito: Divulgação/Netflix

Segundo as autoridades, Monroeteria sofrido uma overdose de medicamentos. Os especialistas, contudo, logo descartaram a possibilidade da causa da morte ter sido uma intoxicação acidental, pois os limites dos remédios eram altos demais.

O caso, então, foi tratado como suicídio. Diversas teorias da conspiração, todavia, especulam que a atriz teria sido envenenada, em decorrência de seu suposto relacionamento com o até então presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy. Além desses lunáticos, um em específico teria perturbado a atriz mesmo depois da sua morte.

Leia o texto completo aqui!