Notícias » Ucrânia

Como na Guerra Fria: Rússia pede coexistência pacífica com os EUA

Órgão russo informou que país está aberto ao diálogo 'honesto e de respeito mútuo' com os norte-americanos

Fabio Previdelli Publicado em 08/03/2022, às 09h54

Refugiados ucranianos à caminho da Hungria
Refugiados ucranianos à caminho da Hungria - Getty Images

No 13º dia de invasão à Ucrânia, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia se manifestou sobre o vínculo entre o país e os Estados Unidos. Para o órgão, as nações deveriam retornar ao princípio da “coexistência pacífica”, assim como foi durante a Guerra Fria

Conforme relatado pela agência independente de notícias russa Interfax, o Ministério ainda argumentou que o país está aberto ao diálogo “honesto e de respeito mútuo” com os norte-americanos.

O órgão mantém a esperança que, desta maneira, restaurará a normalidade nas relações entre as duas nações, apontou a Interfax. Importante ressaltar, porém, que, nos últimos dias, os EUA impuseram fortes sanções contra os russos

As medidas possuem o objetivo de "enfraquecer" a economia russa. Assim, devido às perdas, uma negociação para colocar fim ao conflito seria encaminhada mais facilmente.

Entre as medidas aplicadas estão o fechamento do espaço aéreo americano e sanções que afetam oligarcas russos, conforme relatou a equipe do site do Aventuras na História anteriormente.