Notícias » Arqueologia

Conchas de 120.000 anos são encontradas em caverna de Israel

Os itens estavam foram revelados na Caverna Qafzeh, que guarda ossos de humanos que viveram no Paleolítico

Vanessa Centamori Publicado em 09/07/2020, às 09h37

Conchas encontradas na Caverna Qafzeh, em Israel
Conchas encontradas na Caverna Qafzeh, em Israel - Divulgação/ Universidade de Tel Aviv/ Bar-Yosef Mayer et. al

Segundo uma nova descoberta, realizada na Caverna Qafzeh, em Israel, conchas já eram usadas há mais de 120.000 anos por comunidades humanas na fabricação de contas e outros utensílios perfurados.  

Os revestimentos dos moluscos estavam dentro da caverna, que foi escavada por pesquisadores israelenses. Em entrevista ao site Jewsish News, Daniella Bar-Yosef Mayer, da Universidade de Tel Aviv, explicou que naquela época esses órgãos animais já eram usados para fins simbólicos.

Há 120.000 anos, ela conta, as pessoas "começaram a coletar conchas perfuradas e usá-las em um barbante". O que chama a atenção é que, na literatura arqueológica, justamente quase todas as amostras desses itens são encontradas já perfuradas.

Para testar as conchas em questão, os pesquisadores as coletaram, colocaram cordas feitas de linho selvagem e as abrasaram contra diferentes materiais. Entre eles, couro, areia e pedra — matérias-primas que revelaram no microscópio como os escudos dos moluscos teriam se desgastado com o passar do tempo. 

Curiosamente, na Caverna Qafzeh, onde estavam as conchas, também há dezenas de esqueletos de seres humanos que viveram lá durante o Período Paleolítico do Mediterrâneo. Os povos pré-históricos teriam as usado como adorno, algo também visto em toda a África e no Mediterrâneo Oriental.