Notícias » Inglaterra

Condenação injusta é anulada após quase 50 anos na Inglaterra

Três homens negros, atualmente na terceira idade, foram absolvidos nesta terça-feira por uma suposta tentativa de roubo em 1972

Ingredi Brunato, sob supervisão de Alana Sousa Publicado em 06/07/2021, às 14h00

Fotografia meramente ilustrativa das mãos de um homem segurando uma grade
Fotografia meramente ilustrativa das mãos de um homem segurando uma grade - Divulgação/Pixabay / Fifaliana-joy

Nesta terça-feira, 6, o Tribunal de Apelações da cidade de Londres, capital da Inglaterra, absolveu três homens negros que foram condenados por tentativa de roubo no ano de 1972. A notícia foi repercutida pelo UOL. 

O motivo por trás da ação é que o policial que acusou o trio foi considerado um profissional desonesto recentemente. Trata-se de Derek Ridgewell, da Polícia dos Transportes britânica, hoje já falecido. 

Outro detalhe é que essa já é a terceira condenação feita principalmente com base na palavra do oficial a ser anulada. Courtney Harriot, Paul Green e Cleveland Davidson, os homens absolvidos pelo último desdobramento, cumpriam uma pena de reclusão. 

Hoje idosos, eles foram condenados quando tinham entre 17 e 20 anos. Havia ainda outros dois homens sentenciados junto a eles, mas esses últimos não puderam ser localizados pela justiça britânica. 

Ridgewell havia acusado o grupo de tentar roubá-lo quando embarcaram na mesma estação de metrô que o policial. Os condenados, que se declararam inocentes, alegaram em tribunal que o oficial os havia ameaçado e maltratado. Na época, suas afirmações não puderam mudar seus vereditos. 

"Muito lamentável que se tenha precisado de quase 50 anos para retificar a injustiça sofrida", comentou o juiz responsável pela anulação, Julian Flaux, de acordo com o UOL.