Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Irmãos Menendez

Condenado à perpétua, Lyle Menendez faz planos para sua liberdade: 'Seria emocionante'

Condenados à prisão perpétua sem a possibilidade de liberdade condicional, Lyle e Erik Menendez estão presos pelos assassinatos dos pais em 1986

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 04/06/2024, às 11h28

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Irmãos Menendez em um de seus julgamentos - Getty Images
Irmãos Menendez em um de seus julgamentos - Getty Images

Os irmãos Lyle e Erik Menendez assassinaram brutalmente seus pais, em agosto de 1986, na mansão da família em Beverly Hills, nos Estados Unidos. Pelos crimes, eles foram condenados à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional

Apesar disso, Joseph Lyle Menendez revelou que tem aspirações para a liberdade. O assunto foi abordado durante uma declaração pública de Menendez na CrimeCon 2024 Nashville — um evento dedicado aos fãs de true crime, criadores de conteúdo e profissionais da área investigativa. 

Por uma chamada de telefone do Centro Correcional RJ Donovan em San Diego, na Califórnia, onde está preso, Lyle deu uma das poucas entrevistas de sua vida, ao lado de seu advogado Mark Geragos, falando sobre suas aspirações de vida. 

Conforme relatado pelo NY Post, mais de duas dezenas de familiares já assinaram uma carta pedindo à Justiça que sentencie os irmãos novamente. 

"Bem, espero que... tive essas discussões com funcionários penitenciários encarregados de permitir que pessoas ex-presidiárias retornassem às prisões para fazer bons trabalhos e eles estão definitivamente abertos e gostariam que eu continuasse a trabalhar nesta ideia de transformar os pátios das prisões para criar ambientes de vida e comunidades que produzam melhores 'vizinhos'", disse por viva-voz. 

Então espero fazer isso. E provavelmente irei, como sobrevivente de abuso sexual infantil, conversei com Rosie O'Donnell sobre a criação de uma fundação aonde iríamos e tentaríamos falar nos fóruns desses grupos e ajudar nesse espaço", acrescentou. "É uma área onde passo muito tempo".

Lyle revelou que, atualmente, trabalha atrás das grades para formar grupos de terapia com outros presidiários. "Como você provavelmente sabe, muitos dos prisioneiros tiveram infâncias difíceis e vêm de circunstâncias difíceis, por isso formei grupos onde eles podem falar sobre isso com mais confiança", disse ele. "Então, provavelmente continuarei com essas duas coisas. Isso seria emocionante".

Menendez também revelou que está prestes a fazer o mestrado em planejamento urbano e espera utilizá-lo para reingressar na sociedade se conseguir a redução da pena.

Por fim, agradeceu às pessoas que enviaram cartas de apoio a ele e ao seu irmão ao longo das três décadas em que estão encarcerados.

"Gostaria apenas de expressar gratidão a tantas pessoas, um enorme número de pessoas em todo o mundo e em todo o país que escreveram para mim e para o meu irmão ou visitaram o Facebook criado para as vítimas se expressarem através da ajuda da minha família e apenas expressar gratidão pela sua ajuda, suporte e sua crença de que deveríamos ter uma segunda chance".

Crime revisto

Como já dito, Lyle e Erik Menendez foram condenados à prisão perpétua sem a possibilidade de liberdade por conta do assassinato de seus pais. No entanto, o crime pode ganhar uma reviravolta após o ex-Menudo Roy Rossello acusar Jose Menendez, pai da família e então executivo da RCA Records, de abuso sexual na década de 1980. 

+ Irmãos Menendez: Como ex-Menudo pode reacender o caso criminal?

Segundo o Post, os irmãos defendem a tese de que tinham medo de que o pai os matasse depois de o avisarem que iriam expor os abusos sexuais e físicos que sofreram. Assim, seus advogados argumentam que eles deveriam ter sido condenados por homicídio culposo, e não por homicídio. Caso isso tivesse acontecido, muito provavelmente, eles já teriam sido libertos da prisão.