Notícias » Astronomia

Confira imagens da superlua vista de diferentes lugares do mundo

Nesta manhã, o satélite natural ganhou uma nova cor e impressionou pessoas ao redor do planeta

Alana Sousa Publicado em 26/05/2021, às 11h10

'Lua de Sangue' vista perto do Stonehenge, na Inglaterra
'Lua de Sangue' vista perto do Stonehenge, na Inglaterra - Getty Images

O eclipse lunar com uma superlua de sangue se destacou no céu nesta manhã, o fenômeno foi observado por grande parte do mundo, até mesmo por brasileiros. Apesar da fase total, em que o satélite natural se encontra em um tom avermelhado vibrante, não ter sido vista aqui do Brasil, magníficas fotos ganharam espaço na internet.

A lua, que estava e seu ponto mais próximo da Terra, parecia muito maior do que a realidade. O perfeito alinhamento entre Sol, Terra e Lua resultou no sombreamento do satélite, os raios solares foram filtrados pelo Planeta Azul e refletidos na Lua em cores intensas.

Abaixo confira algumas imagens da superlua vista de diferentes lugares do planeta!

 

Superlua acima do Stonehenge, na Inglaterra / Crédito: Getty Images

 

Eclipe lunar em Auckland, na Nova Zelância / Crédito: GEtty Images

 

Superlua na Nova Zelândia / Crédito: Getty Images

 

Superlua em praia australiana / Crédito: Getty Images

 


Os primórdios do sistema solar

Alguns corpos do sistema solar são conhecidos desde a Antiguidade, já que são visíveis a olho nu. Mas foi apenas anos depois que o homem começou a entender o que realmente se passa no céu – inclusive a perceber que a Terra não era o centro do Universo. 

Ptolomeu, astrônomo de Alexandria, lançou a teoria de que a Terra é o centro do Universo e os corpos celestes giram em torno dela. Além do Sol e da Lua, já eram conhecidos Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno – todos vistos a olho nu. Por conta da cor, Marte recebeu dos romanos o nome do deus da guerra. Na Ásia, era a “Estrela de Fogo”. No Egito, “O Vermelho”.

Já outro grande momento se deu com o polonês Nicolau Copérnico, que virou o mundo do avesso ao elaborar, a partir de 1514, uma teoria que corrigia as ideias de Ptolomeu (e também do filósofo Aristóteles). A Terra não é o centro do Universo: é apenas um planeta que gira em torno do Sol. Nascia a teoria heliocêntrica.

Em 1610, Galileu Galilei descobriu quatro satélites de Júpiter, entre eles Ganimedes (a maior lua do sistema solar). Ele tornou-se um defensor da teoria de Copérnico e acabou julgado pela Inquisição. Para não ser condenado, declarou que a teoria era apenas uma hipótese e deu um tempo nos estudos – só retomados sete anos mais tarde.