Notícias » Pré-História

Esse é o rosto do chefe da etnia Picta, que viveu 1.400 anos atrás

Conhecido como Rosemarkie Man, o homem teria sido brutalmente assassinado no que hoje é a Escócia

Joseane Pereira Publicado em 24/07/2019, às 10h34

None
- Reprodução

Pesquisadores descobriram que um homem pertencente ao grupo Picta, que sofreu uma morte brutal 1400 anos atrás, pode ter sido membro da realeza. O esqueleto havia sido encontrado em 2017, em uma caverna escocesa, de pernas cruzadas e com pedras sobre seu corpo.

Os Pictas eram grupos que viviam no que hoje são o leste e norte da Escócia, entre 270 e 900 d.C. Sociedade guerreira e aprimorada, eles lutaram contra a invasão romana de seu território. Confira sua reconstrução facial, feita por pesquisadores da Universidade de Dundee, na Escócia:

Crédito: Universidade de Dundee

 

Homem robusto

A cabeça do esqueleto havia sido golpeada várias vezes, indicando morte violenta. Análises apontam que ele tinha uma dieta rica em proteínas e estrutura física semelhante à de um grande atleta. De acordo com Simon Gunn, fundador do projeto Rosemarkie Caves: “Ele era um cara grande e forte, parecido com um jogador de rúgbi. É peculiar que ele tenha tido uma dieta muito rica em proteínas, como se não tivesse comido nada além de leitões. Parece alguém especial, como realeza ou chefe”.

Gunn acrescentou que só conhecia dois exemplos de pessoas na Escócia por volta dessa época com uma dieta semelhante. "Obviamente ele teve uma morte brutal, mas foi enterrado com muito cuidado naquela caverna."

Uma amostra de osso enviada para datação por radiocarbono indica que ele morreu entre 430 e 630 a.C. Para Gunn, o enterro na caverna poderia simbolizar a entrada para o submundo, como parte de um ritual funerário. Após sua morte os membros da comunidade teriam realizado uma festa, seja em comemoração ou reverência, o que culminou em uma pilha de ossos de animais próxima ao cadáver.

Esqueleto / Crédito: Reprodução

 

As análises de ferimentos, feitas pela antropóloga forense Dame Sue Black, indicam que os três primeiros impactos quebraram os dentes do homem, fraturando o maxilar esquerdo e a parte posterior da cabeça. O quarto ataque atravessou seu crânio enquanto ele estava deitado no chão, e o quinto golpe foi no topo de sua cabeça.

A antropóloga também acredita que ele tinha um importante papel social: “Pode ser que estejamos olhando para alguém proeminente. Se você tem uma dieta rica em proteínas, significa que come bem e não está entre os pobres da comunidade."

O Rosemarkie Caves Project tem pesquisado uma série de cavernas ao longo da costa da Ilha Negra. Evidências mostram que elas têm sido usadas pelas populações locais há mais de 2 mil anos.