Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Chile

Contaminação de “Chernobyl chilena” deixa mais de 100 intoxicados

Indústrias terão que "limitar sua atividade produtiva”, diz superintendente do Meio Ambiente

Isabelly de Lima, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 09/06/2022, às 16h24

Imagem ilustrativa - freejpg, via Pixabay
Imagem ilustrativa - freejpg, via Pixabay

Desde segunda-feira, 6, ao menos 105 pessoas foram intoxicadas pela contaminação industrial nas cidades chilenas de Quintero e Puchuncaví, região conhecida como “Chernobyl chilena”, que é afetada por uma crise ambiental há décadas, provocada pela indústria pesada.

75 pessoas, incluindo ao menos 50 estudantes, foram intoxicadas por uma concentração elevada de dióxido de enxofre (SO2) na segunda-feira, 6. O registro na Estação de Qualidade do Ar de Quintero marcou essa concentração de 1.327 ug/m3, cinco vezes mais alta que a normal.

A Superintendência do Ambiente (SMA) confirmou na tarde de ontem, 8, em comunicado, que "um novo episódio que afeta a saúde da comunidade desta zona, com o registro de 105 pessoas atendidas no Hospital de Quintero, no Atendimento Primária de Saúde (APS) de Quintero e no APS de Puchuncaví”.

Histórico complicado                      

Quintero e Puchuncaví, duas cidades costeiras que somam quase 50.000 habitantes, são consideradas “zonas de sacrifício ambiental” desde que o governo chileno decidiu, em 1958, relegar a agricultura e a pesca artesanal para converter a região em um polo industrial. Esse polo possui, hoje, 4 usinas elétricas a carvão e refinarias de petróleo e cobre.

Após uma denúncia que citou intoxicação em larga escala de pessoas, foi aberta uma investigação pelo Ministério Púlico de Quintero. As autoridades locais declararam emergência ambiental na região, suspenderam as aulas e proibiram atividades físicas e fontes de calefação.

Em 2018, um grave episódio de contaminação ocorreu nas cidades, afetando quase 600 pessoas, que apareceram com vômitos de sangue, dores de cabeça, náuseas, paralisia dos membros, assim como ferimentos na pele das crianças.

Preocupação mundial

Por essa razão, a organização ambientalista Greenpeace apelidou a área como a “Chernobyl chilena”. Na quarta-feira, 8, Emanuel Ibarra, superintendente do Meio Ambiente, ordenou que seis empresas que operam no parque industrial da região adotem medidas para "limitar sua atividade produtiva, sem prejudicar o abastecimento básico”.

Dentre as empresas afetadas estão a Usina Gasmar Quintero, o Terminal de Asfaltos e Combustíveis Enex, o Terminal Marítimo de Quintero da Copec, o Terminal Marítimo da Empresa Nacional de Petróleo (ENAP), o Terminal Marítimo GNL Quintero e o Terminal Marítimo Oxiquim.