Notícias » Coronavírus

CoronaVac: Após seis meses, risco de Covid-19 aumenta

Novo estudo divulgou dados a respeito da vacina produzida pela Sinovac; jovens são mais atingidos

Penélope Coelho Publicado em 28/12/2021, às 08h22 - Atualizado às 09h38

Imagem ilustrativa da vacina CoronaVac
Imagem ilustrativa da vacina CoronaVac - Getty Images

Recentemente, um estudo realizado por pesquisadores da Fiocruz em parceria com outras instituições de pesquisa, publicado na plataforma medRxiv, divulgou novos dados a respeito da vacina contra Covid-19, CoronaVac, produzida pela Sinovac.

Segundo a pesquisa que ainda não passou pela revisão de pares, duas doses do imunizante em questão protegem contra hospitalização e óbitos causados por complicações do novo coronavírus.

Entretanto, após seis meses da imunização, pessoas de 18 a 39 anos que tomaram a CoronaVac tem quatro vezes mais chances de contrair o vírus. Segundo revelado no estudo, o risco é ainda maior entre profissionais da saúde. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de São Paulo, nesta terça-feira, 28.

De acordo com a reportagem, a pesquisa em questão analisou 37.929 mil dados pareados de pessoas vacinadas com CoronaVac e que realizaram exame de Covid-19 para detectar a presença do vírus entre 17 de janeiro e 30 de setembro.

Esse é o primeiro estudo que dá embasamento científico para a necessidade de dose de reforço do imunizante para pessoas com mais de 18 anos, que receberam as duas doses da vacina produzida pela farmacêutica Sinovac.

Confira a pesquisa completa.