Notícias » Espaço

Corpo cósmico foi responsável por destruição de vila pré-histórica, indica estudo

Pesquisadores sugerem que consequências do evento que aconteceu há 12.800 anos podem ter sido “equivalentes a uma explosão nuclear”

Isabela Barreiros Publicado em 22/06/2020, às 14h01

Material contendo vidro escavado em Tell Abu Hureyra
Material contendo vidro escavado em Tell Abu Hureyra - Scientific Reports

Uma nova pesquisa publicada na revista científica Scientific Reports analisou materiais encontrados no antigo sítio arqueológico de Tell Abu Hureyra, que está onde hoje é a Síria. A região foi escavada entre os anos de 1972 e 1973, quando os arqueólogos descobriram uma peculiar camada no solo, que era rica em carvão e possuía esferas de vidro.

Durante muito tempo, sugeriu-se que os habitantes do local haviam o deixado devido ao aquecimento climático gradual, que aconteceu após o Último Máximo Glacial. No entanto, o que o recente estudo sugere é que, depois de 1.300 anos de ocupação, a vila, na verdade, foi destruída por um corpo cósmico.

"É impossível explicar esses minerais derretidos no vidro de fusão por qualquer processo natural que não seja um evento de impacto cósmico", explicou o líder da pesquisa, Andrew Moore, do Rochester Institute of Technology.

Para sustentar a tese, os pesquisadores compararam o material anteriormente escavado em Tel Abu Hureyra com outros que haviam sido obtidos em locais onde, de fato, aconteceram impactos pré-históricos na Terra. Com isso, eles concluíram que um fluxo de detritos de um cometa de curto período foi responsável pela destruição da vila.

“As pessoas que estavam na aldeia de Abu Hureyra ou nas proximidades, no momento em que a explosão do ar aconteceu, teriam visto um imenso flash no céu, equivalente a uma explosão nuclear. Alguns segundos depois, eles teriam sido incinerados pela explosão que emanava da explosão de ar. A onda de calor destruiu a vila e tudo nela, deixando uma camada de material queimado na superfície”, afirmou Moore.