Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / John McAfee

Corpo de criador do antivírus McAfee continua em necrotério um ano após sua morte

O empresário John McAfee foi encontrado morto em uma prisão, em 2021

Isabelly de Lima, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 23/06/2022, às 15h51

Magnata foi pioneiro no desenvolvimento do modelo de software - Arquivo Pessoal
Magnata foi pioneiro no desenvolvimento do modelo de software - Arquivo Pessoal

O corpo de John McAfee, criador do antivírus McAfee, continua em um necrotério espanhol um ano depois de ser encontrado morto na prisão de Barcelona. Segundo algumas informações dadas à Reuters por autoridades, o motivo é o fato de que a família McAfee pede para haver mais investigações sobre a causa da morte dele, depois que uma autópsia revelou que a causa teria sido suicídio.

Em 1987, o magnata lançou o primeiro software antivírus comercial do mundo. Em 23 de junho de 2021, ele foi encontrado morto algumas horas depois que o Tribunal Superior da Espanha autorizou sua extradição para os Estados Unidos, o acusando de evasão fiscal.

Depois de passar anos fugindo das autoridades norte-americanas, McAfee ficou preso por 8 meses na prisão Brians 2, na área de Barcelona. Um pouco depois da morte do empresário, a viúva Janice McAfee afirmou que ele não seria suicida e que “buscaria respostas”.

Detalhes da investigação

No dia seguinte da divulgação da morte de McAfee, Janice twittou: "É difícil colocar em palavras como foi a vida no ano passado". Ela também pediu para que os usuários da rede assinassem uma petição online para ajudar a pressionar as autoridades espanholas, visando a liberação dos restos mortais do empresário.

Assinada por 1.365 pessoas até agora, o documento pede uma autópsia independente para determinar se a causa oficial da morte pode ser contestada ou investigada de modo particular. Mais verificações da autópsia original foram pedidas pela família, mas, de acordo com o advogado Javier Villalba, via G1, um juiz local negou os pedidos.

Depois da família recorrer dessa decisão, um juiz decidiu que o corpo de McAfee não poderia ser entregue à família até que se resolvesse o recurso.