Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Coreia do Norte

Covid-19: Coreia do Norte usa antibióticos e remédios caseiros em surto sem vacina

Sem campanha de vacinação, mídia estatal norte-coreana recomenda gargarejo com água salgada e chá, além de analgésicos e redutores de febre

Redação Publicado em 23/05/2022, às 10h49

Kim Jong-Un líder supremo da Coreia do Norte - Getty Images
Kim Jong-Un líder supremo da Coreia do Norte - Getty Images

Enfrentando seu primeiro surto oficial de covid-19, a Coreia do Norte é um dos únicos países que ainda não contam com uma campanha de vacinação e estão incentivando o uso de antibióticos e remédios caseiros à população para o tratamento da doença.

A situação foi classificada como um "grave incidente de emergência nacional" pela imprensa estatal e o país já registra mais de 263.370 infectados com os sintomas de febre, além de duas mortes. Não foi informado quantas dessas suspeitas positivaram para covid-19, segundo a agência de notícias estatal KCNA.

Ainda assim, a Coreia do Norte está incentivando sua população a tratar a doença com medicamentos que não combatem o vírus diretamente, já que ainda não estão vacinando as pessoas, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Tratamento na Coreia do Norte

Segundo reportou o jornal O Globo, a mídia estatal norte-coreana está orientando que os infectados sejam tratados com analgésicos e redutores de febre, a exemplo de medicações como ibuprofeno, amoxicilina e outros antibióticos.

De acordo com a publicação, esses medicamentos não combatem vírus, como é o caso da covid-19, sendo prescritos algumas vezes por médicos para o tratamento de infecções bacterianas secundárias.

Além dos antibióticos, a imprensa estatal também recomendou o gargarejo com água salgada e chás de madressilva ou de folhas de salgueiro, que deveriam ser bebidos três vezes ao dia, a exemplo de “remédios” caseiros que deveriam ser usados no tratamento.

A agência de notícias estatal reportou ainda que “milhares de toneladas de sal” estavam sendo levadas para Pyongyang, capital norte-coreana, para a produção de uma “solução antisséptica”.

Existem estudos que relacionam o gargarejo com água salgada com uma melhora em resfriados comuns, mas não existem evidências suficientes para apontar que a prática retarda a propagação do novo coronavírus.