Notícias » Arqueologia

Crânio de babuíno de 3 mil anos pode ser pista sobre misteriosa terra narrada por antigos egípcios, afirmam pesquisadores

Ainda não se sabe muito sobre o famoso Reino de Punte, mas especialistas querem mudar isso com novo estudo

Isabela Barreiros Publicado em 15/12/2020, às 14h43

Crânio de babuíno de 3.300 anos
Crânio de babuíno de 3.300 anos - Divulgação - Museu Britânico

Os antigos egípcios muitas vezes se referiam a uma terra mágica, nomeada por eles de Punte ou Reino de Punte. Nos dias de hoje, não temos evidências sobre as viagens feitas para esse local, mas pesquisadores ainda acreditam que ele de fato existiu há cerca de 4.500 anos.

Para os especialistas, Punte provavelmente estaria localizada onde hoje está a área entre a Eritreia, Etiópia e noroeste da Somália. E eles identificaram algo importante para essa investigação: o crânio de um babuíno de 3.300 anos que estava guardado no Museu Britânico. 

O estudo realizado no crânio do animal, que foi descoberto no século 19 na antiga cidade de Tebas, revelou que ele não tinha nascido no Egito. Os pesquisadores analisaram a proporção de estrôncio no esmalte dos dentes do babuíno e, ao compará-la com a de 31 babuínos modernos do leste da África e da Península Arábica, perceberam que ele provavelmente nasceu onde Punte estaria localizada.

Claro que esse é apenas o começo de toda a investigação. É o que afirma Pearce Paul Creasman, arqueólogo do American Center of Oriental Research: ele conta que esse “é um passo extremamente importante para entender melhor esta terra misteriosa que ainda não entendemos totalmente.”

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.