Notícias » Ucrânia

Criada na União Soviética, rádio democrática russa fecha por cobertura da guerra

Agência reguladora não gostou que veículo usasse as palavras “guerra” e “invasão”

Fabio Previdelli Publicado em 03/03/2022, às 13h35

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

Em 1990, a rádio Ekho Moskvy foi criada na então União Soviética e logo se tornou um símbolo da resistência democrática. O veículo ultrapassou décadas e esteve presente em todos os momentos de reestruturação da sociedade civil russa. 

Apesar dos mais de 30 anos de funcionamento levando informação aos russos, até mesmo sobre o fim da União Soviética no ano seguinte à sua fundação, a rádio não sobreviveu à censura do governo russo, que foi imposta após a invasão à Ucrânia.   

Segundo informações do site da Folha de São Paulo, o conselho da Ekho Moskvy foi dissolvido nesta quinta-feira, 3, cerca de 48 horas após depois da agência reguladora de comunicações, a Roskomnadzor, determinar que a rádio deveria ser retirada do ar. 

A motivação se deu pela maneira que a rádio estava retratando o episódio, usando palavras como guerra e invasão. De acordo com a Roskomnadzor, o veículo estava "deliberadamente espalhando informação falsa sobre a ação de militares russos", o que eles consideraram "um chamado informativo para atividade extremista e violência"

Segundo reproduzidos por veículos estatais, o termo aprovado para a ação russa é “operação militar especial”, do qual o objetivo é "proteger o Donbass".