Notícias » Arqueologia

Crianças participaram mais da arte rupestre do que pensávamos, descobre estudo

Pesquisa foi realizada através da investigação de sítios arqueológicos na Espanha

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 22/03/2022, às 10h04

Pintura rupestre de mãos na famosa "Caverna de Las Manos"
Pintura rupestre de mãos na famosa "Caverna de Las Manos" - Domínio Público

Um grupo de pesquisadores britânicos e espanhóis se uniram para analisar 180 desenhos pré-históricos de mãos através de cinco cavernas diferentes da Espanha (El Castillo, Maltravieso, Fuente de Salin, Fuente Del Trucho e La Gama). 

A descoberta, que foi publicada no Journal of Archaeological Science, é que entre 20% e 25% dessa modalidade de arte rupestre foi feita usando mãos de crianças e até mesmo de bebês. 

"Da mão real para a parede há sempre alguns centímetros de erro, a silhueta sai maior. Calculamos esse erro e saíram muito mais mãos de crianças do que esperávamos", contou Veronica Fernndez-Navarro, a principal autora do artigo, conforme repercutido pelo The Olive Press, um jornal espanhol. 
Imagem mostrando cálculo das dimensões das mãos de uma criança em comparação com o de uma mão representada em um sítio arqueológico / Crédito: Divulgação/ Veronica Fernndez-Navarro

A pesquisa foi iniciada porque os especialistas perceberam que não existem muitas descrições da participação dos pequenos em sociedades antigas.

As obras de arte deixadas em cavernas, no entanto, demonstram uma presença expressiva da parte deles, um fato que pode oferecer uma nova perspectiva para outros objetos artísticos deixados para trás por grupos humanos do passado. 

"Parece que a atividade artística não era fechada e intimamente conectada com o sexo masculino e a sobrevivência do grupo, como se pensava até agora", especulou a pesquisadora ainda. Uma hipótese levantada pelo artigo é de que as pinturas rupestres poderiam ser até mesmo feitas em família. 

+ Confira o estudo completo clicando aqui.