Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Nazismo

Cruz que marca sepultura de nazista na Amazônia é encontrada caída

Em 1936, Joseph Greiner foi sepultado no Amapá durante a chamada ‘Expedição Jari’; conheça a história!

Fabio Previdelli Publicado em 05/07/2022, às 10h26

A cruz que marca o túmulo de Joseph Greiner - Divulgação/Rede Amazônica e Arquivo Pessoal
A cruz que marca o túmulo de Joseph Greiner - Divulgação/Rede Amazônica e Arquivo Pessoal

Durante a Segunda Guerra Mundial, nazistas criaram um projeto para colonizar a Amazônia. Assim, em 1935, um grupo de alemães desembarcou em terras tupiniquins para iniciar a chamada ‘Expedição Jari’

Entretanto, durante a viagem, um deles, Joseph Greiner, acabou sendo acometido por uma febre fatal. Seu corpo foi enterrado às margens do Rio Jari, no Sul do Amapá, e uma cruz em sua homenagem, com a suástica nazista e tudo mais, permanece lá desde então. “Joseph Greiner faleceu aqui em 2-1-36 de morte febril em serviço de exploração para a Alemanha. Expedição Jari, 1935-1937”, diz a mensagem.

No último domingo, 3, porém, a cruz foi achada caída por um turista. Segundo o G1, o sujeito, que não quis se identificar, encontrou a estrutura em seu percurso até a cachoeira de Santo Antônio, que fica perto do cemitério que hoje está desativado. 

Nazistas durante a 'Expedição ao Jari'/ Crédito: Divulgação/Rede Amazônica

Embora não se saiba quando exatamente a cruz caiu e nem qual o motivo para isso, o visitante aponta que as recentes cheias do Rio Jari podem ter provocado a queda da cruz de madeira que tem quase três metros. 

Para surpresa do guia turístico e dos visitantes, a cruz estava tombada no cemitério. Eu acredito que por conta da cheia do Rio Jari, que há muito tempo não subia tanto, a água chegou na base da cruz e pode ter apodrecido a madeira", acredita o turista. 

A Expedição Jari

Uma cruz de mais ou menos três metros desperta a curiosidade de quem passa pela cidade de Laranjal do Jari, no Amapá. Ela pode ser observada à distância, ainda por quem navega pelo rio Jari, a única entrada possível para a região. Contendo uma suástica, mais curiosa ainda é a origem do grande monumento, que remonta aos anos 1930.

Naquela época, ideologias de extrema-direita tentavam se expandir para além de seus berços. No caso do nazismo, os alemães montavam comitivas a fim de levar o pensamento dominante do país para outras localidades. Mas quem imaginaria que eles iriam até a Amazônia para realizar tal plano?

+Saiba mais sobre a Expedição Jari aqui!