Notícias » Música

Dave Grohl afirma que foi informado da morte de Kurt Cobain um mês antes da tragédia

O ex-baterista do Nirvana passou por episódios traumáticos para lidar com o luto do companheiro antes mesmo da confirmação

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 10/10/2021, às 07h00

Fotografia de Kurt e Dave durante transmissão de rádio
Fotografia de Kurt e Dave durante transmissão de rádio - Wikimedia Commons / Julie Kramer

Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana e vocalista do Foo Fighters, revelou alguns episódios íntimos de seus momentos finais ao lado de Kurt Cobain em sua biografia recém-landada “The Storyteller: Tales of Life and Music” (“O Contador de Histórias: Contos de Vida e Música”, em tradução livre).

O músico afirma que recebeu, mais de uma vez, a notícia "inédita" de que o companheiro de banda havia morrido, isso porque, um mês antes do suicídio do vocalista, Cobain foi dado como morto após uma overdose de heroína em um hotel em Roma, no dia 3 de março de 1994.

Na ocasião, Grohl acompanhava a banda em uma breve turnê europeia e foi informado em um telefonema que teria perdido o amigo, instalado no mesmo hotel — mas ele foi reanimado instantes depois.

"Fui dominado por uma tristeza mais profunda do que jamais havia imaginado. [...] No decorrer de cinco minutos, passei do dia mais sombrio de toda a minha vida e comecei a sentir que tinha nascido de novo”, escreveu o músico.

Contudo, o alívio durou pouco tempo, visto que a confirmação do suicídio de Cobain ocorreu na manhã de 8 de abril do mesmo ano, um mês depois, quando disparou um tiro contra a própria cabeça: “Dessa vez foi pra valer. Ele se foi. Não houve um segundo telefonema para consertar o erro. Para reverter a tragédia. Foi final”.