Notícias » Estados Unidos

De acordo com família de combatente desaparecida, o exército americano mentiu sobre o caso

Antes de sumir, Vanessa Guillen havia relatado que foi vítima de assédio sexual, na base militar onde trabalhava

Penélope Coelho Publicado em 03/07/2020, às 11h15

Vanessa Guillen
Vanessa Guillen - Divulgação / Exército americano

De acordo com reportagem divulgada no portal UOL, os parentes da combatente norte-americana, Vanessa Guillen, decidiram acusar o exército do país por supostamente terem omitido informações sobre o desaparecimento da mulher.

Vanessa foi vista pela última vez em 22 de abril desse ano, em Fort Hood, base do exército, localizada no estado do Texas. Desde a ocasião, seus familiares buscavam de todas as maneiras encontrá-la.

Durante uma entrevista coletiva realizada ontem, 2, a irmã da combatente, Lupe Guillen, afirmou que o exército mentiu para se proteger. Os possíveis restos mortais de Vanessa foram encontrados recentemente, no condado de Bell, no Texas.

"Eles mentiram na nossa cara todo dia, foram mais de dois meses [...] Minha irmã merece respeito. Ela merece ser ouvida, porque se isso aconteceu com minha irmã pode acontecer com qualquer um", disse Lupe.

A indignação da família aconteceu na mesma ocasião em que um suspeito de ter participado do caso, tirou a própria vida. De acordo com os advogados da família, o homem seria a mesma pessoa que Vanessa acusou de ter sido vítima de um abuso.

A advogada Natalie Khawam, veio a publico com algumas informações que Vanessa já havia relatado anteriormente, de acordo com Khawam, a mulher foi seguida até um chuveiro por seu sargento, que ficou observando ela tomar banho.