Notícias » Ciência

De acordo com pesquisa, gelo no mar do Ártico deve desaparecer em 15 anos

A previsão foi dada por uma agência britânica de pesquisa, e leva em conta o acúmulo histórico de água no local

Caio Tortamano Publicado em 12/08/2020, às 15h43

Iceberg no Ártico
Iceberg no Ártico - Wikimedia Commons

A revista Nature Climate Changue publicou um estudo realizado pela empresa britânica de pesquisas British Antarctic Survey para analisar as condições climáticas da região no planeta. De acordo com a pesquisa, todo o gelo marinho do Polo Norte deverá derreter até 2035.

A constatação foi feita a partir do modelo climático Hadley Center, desenvolvido pelo serviço britânico de meteorologia, podendo comparar a circunstância em que o gelo do mar Ártico se encontrava milhares de anos atrás com agora. Isso também foi observado graças aos primeiros derretimentos anuais que ocorrem no local na primavera e no início do verão.

O aumento de calor leva a formação de pequenas piscinas de água sob o gelo, esse acúmulo é importante para estudar a quantidade de luz que esse gelo absorve e quanto dele que é refletido novamente para o espaço — aumentando o calor.

Hadley Center, então, foi utilizada para observar como essa água acumulada se comporta ao longo do período interglacial — aproximadamente 127 mil anos atrás —, e foi descoberto que essas pequenas piscinas estavam, cada vez mais, acumulando mais água, críticos para o derretimento do gelo no Polo Norte.

A pesquisadora Loiuse Sime, da British Antarctic Survey, em Cambridge, faz um alerta diante dessas estimativas: “ A perspectiva de perder o gelo marinho até 2035 deveria nos fazer focar em um mundo com menos carbono, assim que for humanamente viável".