Notícias » Crimes

Deixou R$350 para o filho: Lázaro se encontrou com ex-mulher e sogra pouco antes de ser morto

“Não houve ameaça e coação do Lázaro contra elas. Houve livre vontade mesmo”, diz o delegado Cléber Júnior Martins

Fabio Previdelli Publicado em 30/06/2021, às 10h42

Policiais em busca de Lázaro Barbosa
Policiais em busca de Lázaro Barbosa - Divulgação/TV Globo

Na manhã da última segunda-feira, 28, após 20 dias de procuras, Lázaro Barbosa, acusado de chacina no DF, foi capturado e morto por polícias de Goiás, conforme informou a equipe do site do Aventuras na História

Porém, as investigações sobre o caso não pararam por aí. Segundo informações do G1, a Polícia Civil descobriu que Lázaro se encontrou com sua ex-mulher e a sogra antes de ser baleado. As autoridades informaram que ele foi até a casa delas deixar 350 reais para seu filho, horas antes de ser morto.  

“Elas só admitiram que ele passou lá, deixou um dinheiro que seria para o filho, R$ 350, e teria dito que fugiria para o Distrito Federal para se esconder na casa de um familiar ou conhecido”, informou o delegado de polícia Cléber Júnior Martins.  

Segundo as autoridades, existe a suspeita que durante a fuga, Barbosa precisou ter acesso a alguns itens básicos, principalmente alimentos, e que as duas mulheres lhe ajudaram. 

“Elas negaram que seriam as que levariam ele [para alguma outra casa ou cidade]. A gente até desconfia que não fossem elas, mas que as duas intermediariam alguém para levar”, completa Martins

No mesmo dia da morte de Lázaro, as duas chegaram a ser entrevistadas pelas autoridades, que queriam descobrir se elas sabiam de algo que pudesse ajudar nas buscas ou descobrir se o ajudavam de alguma maneira. 

“Se confirmou que elas estavam ajudando mesmo. Agora vai ser feito o procedimento relacionamento ao favorecimento que elas estavam dando. Elas estavam escondendo ele na casa, sem avisar as autoridades sabendo que ele era um foragido que era perseguido”, explica o delegado. 

Martins ainda disse que, caso seja comprovado que elas apenas o favoreceram, as duas terão que encarar um Termo Circunstanciado de Ocorrência, já que o crime é considerado de menor potencial ofensivo. As autoridades acreditam que elas não foram intimidadas por Lázaro para ajudá-lo.  

“A ex-companheira e a mãe dela a gente tinha imaginado que elas não ajudariam na fuga, mas se mostrou o contrário. Não houve ameaça e coação do Lázaro contra elas. Houve livre vontade mesmo”, concluiu o delegado. 

A prisão e a morte de Lázaro

Logo nas primeiras horas desta segunda-feira, 28, o governador do estado de Goiás, Ronaldo Caiado, revelou que Lázaro Barbosa, procurado há mais de 20 dias, havia sido preso. Poucos momentos depois, contudo, informações do G1 confirmaram que o suspeito foi morto em Águas Lindas de Goiás, aos 32 anos.

Durante o período das buscas pelo suspeito, realizadas por mais de 270 agentes da região, Lázaro invadiu ao menos 11 fazendas, baleou moradores, dois agentes da Polícia Militar e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), além de ter feito uma família de refém durante cerca de duas horas.

Agora, após ser detido pelos oficias da região, Lázaro Barbosa foi baleado e, segundo o G1, faleceu durante a abordagem. As polícias responsáveis pelas buscas ainda não divulgaram mais informações sobre a morte do suspeito.

Lázaro Barbosa era procurado pelas autoridades de Goiás e do Distrito Federal há 20 dias, suspeito de matar a família de quatro pessoas em Ceilândia. Desde o ocorrido, a polícia realizava buscas na região de Goiás, local onde o sujeito estava escondido, como apontaram investigações. Segundo revelado pelas autoridades, o homem se escondia em áreas rurais, armado, ele invadia fazendas e fazia moradores como reféns.