Notícias » Arqueologia

Dentes de sabre não eram exclusividade de animais carnívoros, revela estudo

Estudos indicam que os dentes de sabre não eram usados apenas para caça, adquirindo multifuncionalidade

Giovanna de Matteo Publicado em 18/08/2020, às 11h50

Recriação do Tiarajudens eccentricus
Recriação do Tiarajudens eccentricus - Wikimedia Commons

Um dos animais pré-históricos mais famosos que apresentavam dente de sabre é o esmilodonte, mais conhecido como tigre de sabre. Esse animal viveu durante a Era do Gelo e era um dos predadores mais temidos da época. Ele usava suas presas enormes e curvadas para caçar nas pradarias da América do Norte durante o Pleistoceno.

O esmilodonte, porém, não era o único animal naquele tempo que possuía dentes de sabre, sendo ele apenas a última linhagem de felinos de presas longas, que já existia há 16 milhões de anos. 

Esqueleto do Esmilodonte / Wikimedia Commons

 

Seu parente marsupial Thylacosmilus, por exemplo, tinha presas longas como o esmilodonte. Em um recente estudo, os cientistas descobriram que esses dentes de sabre tinham um papel diferente na vida do marsupial, que provavelmente nem era um predador.

Esse parente dos cangurus e vombates pode ter sido um animal que usava seus dentes caninos apenas para cortar carcaças já abertas por outros animais, aproveitando as refeições abandonadas por eles. 

“O thylacosmilus não é simplesmente uma versão marsupial de um felino com dentes de sabre, sua ecologia pode ter sido muito diferente de qualquer criatura atualmente viva — um carnívoro especializado em órgãos macios", afirma a paleontóloga Larisa DeSantis, da Universidade de Vanderbilt.

Reprodução do Thylacosmilus / Wikimedia Commons 

 

A descoberta é um indício de que existiu uma variedade de animais que também tinham os caninos gigantes, e apresenta uma multifuncionalidade dependendo do animal que o tem. Relata-se que até mesmo criaturas herbívoras possam ter desenvolvido os dentes alongados, que eram usados para exibição ou como armas ameaçadoras contra os rivais, como forma de proteção.

Esse é o caso do Tiarajudens eccentricus, o mais antigo animal com dentes de sabre já registrado. Ele foi encontrado a partir de fósseis achados no Brasil. Sua forma física aparentava ser o resultado estranho de um cruzamento entre um porco e uma tartaruga. O animal pertencia a um clã de vertebrados chamados sinapsídeos.

Os dois caninos longos e achatados que saíam do maxilar superior do animal, que tinha a estatura de um cão de porte médio, eram usados para se exibir e também em combates entre sua própria espécie. Para a surpresa dos estudiosos, foi identificado que o animal, que talvez seja o primeiro a ter tido o par de dentes de sabre do mundo, não era carnívoro.