Notícias » Crimes

Depois de mulher confessar que matou companheiro, corpo é encontrado com facada no pescoço

Crime aconteceu no último sábado, 23, em Itaóca, interior paulista

Redação Publicado em 27/10/2021, às 09h19

A vítima do crime, Orazil Silva
A vítima do crime, Orazil Silva - Divulgação/Facebook

Na última terça-feira, 26, uma mulher confessou à Polícia Civil, ao prestar depoimento, que havia matado o companheiro com uma facada enquanto ele dormia, na residência dele, no município de Itaóca, interior paulista.

Orazil Silva, de 32 anos, foi morto no último sábado, 23, mas seu corpo apenas foi localizado pelo advogado da ambulante de 32 anos nesta segunda-feira, 25. Ele estava sentado em um sofá na sala com uma facada no pescoço. 

Além do corpo da vítima, foi possível localizar a arma usada no crime. A faca foi identificada jogada no chão da casa, como apurou o portal de notícias g1.

O crime foi notificado pelo advogado de defesa da mulher, que também localizou o corpo e o descreveu para as autoridades. Ela prestou depoimento na Delegacia de Apiaí e falou sobre as motivações para o assassinato e como o executou.

Segundo a ambulante, que foi companheira de Orazil, os dois tinham uma relação abusiva, mas tinham se separado e estavam tentando voltar ao relacionamento. O homem teria até mesmo agredido a mulher em algum momento do caso.

No entanto, a situação chegou ao limite para a mulher quando ela descobriu que o companheiro estava trocando mensagens com outra moça e começou a discutir com ele, que a trancou dentro da casa para que ela não fosse embora.

No depoimento, a ambulante relata ainda que os dois estavam sob influência de bebidas alcoólicas. Ela teria esperado Orazil dormir para matá-lo, esfaqueando-o no pescoço com uma faca de cozinha e fugindo para a asa dos pais em Apiaí.

Como o crime não foi pego em flagrante, visto que ele ocorreu no sábado, a mulher não pôde ser presa após o depoimento. Ela foi liberada e ainda não foi expedido nenhum mandado de prisão contra ela. Mais investigações serão realizadas sobre o caso.