Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

Deputada trumpista confunde ‘gaspacho’ com ‘Gestapo’ e vira meme

"Agora nós temos a ‘polícia gaspacho’", disse Marjorie Taylor Greene durante entrevista

Fabio Previdelli Publicado em 10/02/2022, às 15h45

Gestapo, a polícia secreta nazista; e o gaspacho, a sopa fria à base de tomates - Montagem/Domínio Público e avlxyz via Wikimedia Commons
Gestapo, a polícia secreta nazista; e o gaspacho, a sopa fria à base de tomates - Montagem/Domínio Público e avlxyz via Wikimedia Commons

Durante o regime de Adolf Hitler, entre 1933 até o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, a Gestapo foi um dos principais aparatos de repressão dos nazistas, perseguindo, espionando e prendendo todos aqueles ‘suspeitos’ de conspirar contra o Estado ou o Partido Nazista. 

Já na culinária, o gaspacho, uma sopa fria à base de tomates, é muito popular na região da Andaluzia, na Espanha, e também no Algarve, em Portugal. As diferenças são evidentes, o que torna a relação entre as duas coisas improvável, não?

Acontece que, durante entrevista ao programa Real America with Dan Ball, a deputada republicana Marjorie Taylor Greene, uma das grandes apoiadoras de Donald Trump, confundiu as duas palavras ao criticar a atuação da Câmara dos Estados Unidos pela investigação à invasão do Capitólio — o ocorrida em 6 de janeiro de 2021 por apoiadores de Trump, que não acreditam que o resultado das eleições norte-americanas foi fraudado

"Agora nós temos a ‘polícia gaspacho’ da Nancy Pelosi [presidente da Câmara] espiando membros do Congresso, o trabalho legislativo que fazemos, a nossa equipe, e espiando cidadãos americanos que querem vir falar com seus representantes", declarou. 

Esse governo se transformou em algo que nunca deveria ser, e é hora de acabar com isso”, completou. O vídeo com a fala, é claro, viralizou nas redes sociais.

Após a gafe, Greene usou seu Twitter para tratar de forma bem humorada o ocorrido. "Sem sopa para quem espionar ilegalmente membros do Congresso, mas eles serão jogados no goulash", disse — usando a sonoridade da sopa típica do Leste Europeu para fazer uma referência aos gulags soviéticos.