Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Deputado atira em sessão virtual no MS: 'Advertência ao comunismo'

A cena causou revolta de deputados na sessão, veja o vídeo

Redação Publicado em 18/05/2022, às 11h25

Deputado atira em bandeira com símbolo de foice foice e martelo - Reprodução/Vídeo/Youtube CBN
Deputado atira em bandeira com símbolo de foice foice e martelo - Reprodução/Vídeo/Youtube CBN

O deputado estadual João Henrique Catan (PL-MS), causou muita polêmica e foi alvo de diversas críticas na terça-feira, 17, por disparar uma pistola em votação virtual sobre o risco da atividade do tiro esportivo no estado do Mato Grosso do Sul, dizendo que o ato era uma “advertência ao comunismo”.

O alvo dos tiros foi uma bandeira que tinha o desenho de uma foice e um martelo, símbolo do comunismo e de partidos de esquerda no Brasil.

Esse projeto é um tiro de advertência no comunismo e na mão leve que assaltou o país. Por isso, uma salva de tiros sim", falou enquanto se preparava para atirar em uma imagem que apresentava uma foice e martelo.

O projeto de lei consta com um texto que garante os riscos da atividade para os que desejam se profissionalizar, em via de conscientizar aos que desejam tirar as licenças para porte legal de arma de fogo. Agora, irá passar sanção do governado do estado.

“O projeto serve para armar o cidadão de bem e inibir invasões ilegais, diminuindo a criminalidade e prevalecendo o direito de propriedade. O povo armado jamais será escravizado”, ainda diz em outro trecho do vídeo.

Veja o momento:

Situação causou indignação imediata

Todo o cenário feito pelo deputado e suas falas, foram rapidamente questionadas e criticadas durante a reunião. O presidente do Legislativo estadual, Paula Corrêa (PSDB), condenou as falas, dizendo que "não pode fazer isso, houve um exagero".

"Isso aqui não é um teatro. Da próxima vez, se quiser se aparecer, pendure uma melancia no pescoço. Temos assuntos mais importantes do que debater armas, assuntos como fome, miséria, desemprego, violência contra a mulher, a LGBTfobia", afirmou o deputado do PT, PedroKemp.

Até o momento, nenhuma medida de apuração de má conduta ou incitação á violência foi tomada por meio do parlamento, conforme apurado pelo portal G1.