Notícias » Brasil

Deputado do PSC comemora desfile de tanques em Brasília com foto da China: 'Somente ilustrativa'

Episódio foi apontado por internautas nesta terça-feira, 10, através do Twitter

Redação Publicado em 10/08/2021, às 12h23

Bolsonaro acompanha o desfile
Bolsonaro acompanha o desfile - Divulgação/Vídeo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, causou indignação ao acompanhar a passagem de tanques no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta terça-feira, 10, na companhia de chefes militares.

Através de filmagens transmitidas ao vivo no Facebook do presidente, o evento durou aproximadamente 9 minutos. Nas redes sociais, internautas demonstraram repúdio ao episódio, enquanto muitos aplaudiram.

Um deles é o deputado Otoni Moura de Paulo Junior, pastor evangélico e filiado ao Partido Social Cristão, que comentou o episódio através de sua conta oficial no Twitter.

Ao publicar uma imagem que mostram tanques militares, o político escreveu a seguinte legenda: ‘Oh Formosa! (emoji de bandeira do Brasil) Nunca uma simples manobra militar mexeu tanto com meu patriotismo’.

De imediato, usuários das redes sociais responderam a publicação de Otoni. Contudo, se engana quem pensa que foram os seguidores do político.

A maioria das publicações apontava que a imagem publicada pelo político se refere, na verdade, aos tanques do exército da China.

'Patriotismo com foto do exército comunista chinês, deputado?', disse um usuário. Já outro foi mais irônico: 'Interessante que o seu orgulho vem do exército chinês'.

Foto de 2019

Uma reportagem do El Diario de 7 de outubro de 2019 apresenta a fotografia com o seguinte título: ‘China hace gala de su nueva tecnologia militar’ (‘China mostra sua nova tecnologia militar’, em tradução para o português).

A matéria comenta o evento que relembrou os 70 anos da Revolução Comunista da China em 2019. Algumas horas depois, o deputado fez uma nova publicação no Twitter. Ele disse que a imagem era apenas ilustrativa.

'Fiquem tranquilos, a foto é somente ilustrativa e pra mostrar para os esquerdistas que em qualquer país, até na China tem manobra militar. Fiquem calmos', diz a publicação.