Notícias » Rio de Janeiro

Desaparecimento de meninos de Belford Roxo completa seis meses

Familiares dizem que continuam com a esperança de encontrá-los, mas reclamam de como polícia conduz o caso “Às vezes acho que eles não querem passar o que sabem”

Fabio Previdelli Publicado em 28/06/2021, às 10h45

Fotos dos meninos que desapareceram em Belford Roxo
Fotos dos meninos que desapareceram em Belford Roxo - Divulgação/ Arquivo Pessoal

No dia 27 de dezembro, Lucas Matheus, de 9 anos; Alexandre Silva, 11; e Fernando Henrique, 12, foram vistos pela última vez em uma feira no bairro de Areia Branca, em Belford Roxo. Hoje, seis meses depois, os garotos ainda seguem desaparecidos e as buscas parecem longe de estar em seu fim. 

Em entrevista ao G1, Silvia Regina da Silva, avó de Lucas e Alexandre, disse que desde quando os netos sumiram, a espera por eles se tornou angustiante, se tornando desesperadora com a falta de informações sobre o trio.  

"Minhas filhas vão sempre na delegacia tentar saber de algo, mas a polícia diz que não tem pista nenhuma. Acho estranho não ter nada. Ou às vezes acho que eles não querem passar o que sabem para a gente", comenta.  

Já a mãe de Fernando Henrique, dona Tatiana Ribeiro, diz que recebe inúmeras informações falsas sobre o paradeiro do trio. “Tem dia que dá vontade até de fazer uma loucura: ir para a rua, tentar achar. Mas eu não consigo mais achá-lo. Só trote, só trote. É muito doloroso”. 

Na próxima quinta-feira, 1º de julho, a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) organiza um encontro entre os familiares para tratar do caso, algo que Silvia espera ansiosamente, com a esperança de que receberá boas notícias.  

“Coração de vó sofre duas vezes. Dói demais não ver os meus netos, e ainda é muito triste ver minhas filhas pelos cantos, vendo as fotos dos filhos no celular. Ou a irmãzinha do Lucas, de 4 anos, perguntando pelo irmão”, diz. 

Relembre o desaparecimento 

Em 27 de dezembro, três meninos desapareceram em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. Na ocasião, a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) havia informado que as crianças não tinham sido flagradas por nenhuma das câmeras de segurança presentes na região.   

No entanto, em 11 de março, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) identificou os três garotos em uma filmagem, segundo aponta matéria publicada pelo UOL. As filmagens, que já estão em posse da Policia Federal, mostram Fernando Henrique, Alexandre e Lucas passando pela Rua Malopia, em Vila Medeiros, perto do local onde eles sumiram.   

Com isso, os investigadores estudam a hipótese de que os garotos possam ter sido capturados durante esse trajeto. O DHBF não descartou o envolvimento de traficantes no sumiço do trio. Em 12 de abril, quando o desaparecimento completou 106 dias, a Polícia Civil do Rio de Janeiro decidiu criar uma força-tarefa para investigar o caso.  

Segundo os familiares dos menores, os garotos saíram de casa e jamais retornaram. Para os parentes das vítimas, as investigações começaram tarde e seguem em ritmo lento. Sendo que as testemunhas só foram entrevistadas uma semana após a primeira denúncia e o mistério parece está longe de ser desvendado.