Notícias » Arqueologia

Cabeça de estátua de 2 mil anos do deus do vinho é descoberta em Roma

O encontro da estátua do deus Baco aconteceu por acaso durante outra investigação no coração de Roma

André Nogueira Publicado em 28/05/2019, às 17h00

Cabeça encontrada
Cabeça encontrada - Reprodução

Um arqueólogo tropeçou em uma grande cabeça de estátua de mármore em excelente estado com o formato do deus Dionísio, ou Baco entre os romanos, deus do vinho. A descoberta ocorreu durante uma escavação no coração da cidade, próximo ao antigo Fórum Romano.

"Os arqueólogos estavam escavando uma muralha medieval quando viram, escondida na terra, uma cabeça de mármore branco", disse um comunicado do Parque Arqueológico do Coliseu, que abrange o Fórum Romano. O muro, provavelmente, era feito de restos de material de construção, comum na época.

Cabeça foi encontrada em bom estado / Crédito: Divulgação

 

 “O rosto é refinado e gracioso, jovem e feminino. Tudo isso nos faz pensar que isso poderia ser uma representação de Dionísio ” continuou o comunicado. A cabeça será limpa e restaurada e deve ser colocada em exposição no futuro. Ela remonta à época imperial, entre os século 1 e 2 d.C..

Dionísio era filho de Zeus e Semele, a filha mortal do rei de Tebas. Era conhecido como o deus do vinho, vinificação e cultivo de uva, bem como da fertilidade, teatro, do êxtase religioso, da dança e dos bacanais. Entre os gregos, era componente do Olimpo e, depois, foi incorporado ao panteão romano como Baco.