Notícias » Nova Guiné

Descoberta de artefatos pré-históricos indicam existência da era neolítica na Nova Guiné

Os itens encontrados são fundamentais para o entendimento do comportamento dos indivíduos do passado

Gabriel Fagundes Publicado em 26/03/2020, às 10h45

Foram esses artefatos de pedra encontrados por moradores locais em 2016 que motivaram as escavações no local de Waim, na Nova Guiné
Foram esses artefatos de pedra encontrados por moradores locais em 2016 que motivaram as escavações no local de Waim, na Nova Guiné - Divulgação/Ben Shaw

Novos artefatos históricos foram encontrados no sítio arqueológico de Waim, nas montanhas da Nova Guiné. Os objetos são fundamentais para o entendimento da transformação ocorrida no comportamento humano entre 5.050 e 4.200 anos, por conta do surgimento generalizado da agricultura, que proporcionou uma era neolítica regional semelhante ao neolítico da Eurásia.

Contudo, o desenvolvimento da lavoura na Nova Guiné ocorreu por volta de 8.000 a 4.000 anos atrás, por isso existem poucas evidências de mudanças sociais, dos comportamentos dos indivíduos que ali viveram, diferentemente do que ocorreu em outras partes do mundo.

E foi visando compreender de forma mais profunda como era a vida nessa região à medida que a agricultura se espalhou, que o arqueólogo Ben Shaw da Universidade de New South Wales, em Sydney, juntamente com outros pesquisadores escavaram e examinaram diversos artefatos do sítio de Waim.

As principais descobertas foram: um pedaço de rosto humano ou animal talhado, dois pilões de pedra com traços de inhame, amido de frutas, nozes e uma ferramenta para cortar. Além disso, uma pedra manchada por um pigmento com marcas que podem ter sido usadas para aplicar corantes nas fibras das plantas e um fragmento de rocha rico em ferro, que provavelmente foi usado com outras pedras para criar faíscas e provocar incêndio.

"O que é realmente emocionante é que esta foi a primeira vez que esses artefatos foram encontrados no solo, o que agora nos permitiu determinar sua idade com datação por radiocarbono", disse Shaw. Ademais, o crescimento da agricultura na Nova Guiné aparentemente veio a influenciar no comércio marítimo de longa distância, dizem os cientistas.