Notícias » Mundo animal

Descoberta inédita: Condores fêmeas foram capazes de procriar sem o auxílio de machos

Estudo foi divulgado recentemente na revista científica Journal of Heredity da American Genetic Association; saiba mais!

Fabio Previdelli Publicado em 01/11/2021, às 14h28

Exemplar de um condor-da-Califórnia
Exemplar de um condor-da-Califórnia - Stacy via Wikimedia Commons

Uma pesquisa publicada na última quinta-feira, 28, na revista científica Journal of Heredity da American Genetic Association, aponta que biólogos americanos constaram algo inédito no que diz respeito a procriação dos condores-da-califórnia. 

Afinal, de acordo com pesquisadores da ONG San Diego Zoo Wildlife Alliance, duas fêmeas tiveram filhotes sem terem tido relações com um parceiro macho. Até então, era desconhecido que a espécie, que é ameaçada de extinção, tinha a capacidade de se reproduzir por partenogênese — onde um embrião se desenvolve sem que o óvulo seja fecundado. 

A descoberta foi feita, de acordo com os biólogos, por conta de exames genéticos que são feitos rotineiramente nas aves que vivem em cativeiro. Ambos os filhotes, que nasceram em 2001 e 2009, tinham ligações com as mães, mas não com os pais. 

A comparação foi feita com o material genético dos 467 condores machos. O que torna o caso mais raro ainda, segundo explica matéria publicada pela BBC, é que a reprodução assexuada ocorreu mesmo quando os machos estavam ‘disponíveis’.

Esta é realmente uma descoberta surpreendente", afirmou o diretor de genética da conservação da San Diego Zoo Wildlife Alliance e coautor do estudo, Oliver Ryder.
"Não estávamos exatamente procurando por evidências de partenogênese; fomos surpreendidos. Nós apenas a confirmamos por causa dos estudos genéticos normais que fazemos para provar a ascendência", completa.

Os dois filhotes, no entanto, já morreram, um em 2003, aos dois anos; e outro aos sete, em 2017. Outro ponto curioso é que suas respectivas mães tiveram outros filhotes frutos da reprodução com machos.