Notícias » Música

Desde a morte de Michael Jackson, família do Rei do Pop já faturou 11 bilhões de reais

Documentos obtidos pelo The Blast mostram que ganhos foram divididos em partes iguais entre a mãe de Michael e os filhos do cantor

Fabio Previdelli Publicado em 09/11/2020, às 12h37

Michael Jackson em trecho do clipe "Speed Demon"
Michael Jackson em trecho do clipe "Speed Demon" - Divulgação

Quando morreu em 2009, vítima de uma overdose de medicamentos controlados, Michael Jackson deixou para trás uma dívida de mais de 500 milhões de dólares, algo em torno dos 2,7 bilhões de dólares. Agora, no entanto, a situação financeira da família Jackson é bem diferente. Pelo menos isso é o que aponta alguns documentos obtidos pelo site The Blast.  

De acordo com a matéria, após mais de uma década da morte do Rei do Pop, seus familiares já faturaram mais de 2 bilhões de dólares, cerca de 11 bilhões de reais, devido ao licenciamento de músicas, relançamento de discos, entre outros fatores. 

O The Blast ainda aponta que a divisão desses lucros acontece de forma igualitária entre a mãe de Michael, Katherine, e os três filhos do cantor: Prince, o mais velho, de 23 anos; Paris, de 22 e Blanket, de 18.  

Nos documentos, o advogado da família dize que “descontruiu e aprimorou com sucesso a imagem de Michael Jackson, solidificando o negócio de MJ como uma entidade significativa na indústria do entretenimento que entrou e entrará em negócios sem precedentes que, por sua vez, produzem e, no futuro, irão produzir receitas significativas para seus herdeiros”. 

A morte de Michael

Em 2009, o cantor faleceu como consequência de uma intoxicação aguda por propofol. A perícia também aponta uma overdose letal após um coquetel de medicamentos, incluindo sedativos.

Além do legado inegável na música e na cultura global, Michael Jackson deixou três filhos para trás quando morreu em 25 de junho de 2009. Prince Michael Jackson, Paris Jackson e Prince Michael Jackson II viveram sob a proteção do pai enquanto puderam, e acabaram sendo incluídos de maneira involuntária na vida pouco privada do Rei do Pop.