Notícias » Estados Unidos

Destróier americano é ameaçado por navio russo em alto mar

O incidente ocorreu nos limites do golfo de Pedro, o Grande, no mar do Japão

Giovanna de Matteo Publicado em 25/11/2020, às 11h45

O destróier USS John S. McCain
O destróier USS John S. McCain - Wikimedia Commons

Nesta última terça-feira, 24, um comandante de um navio militar russo ameaçou atacar um destróier norte-americano que, segundo ele, estava invadindo o território marítimo russo.

O incidente ocorreu nos limites do golfo de Pedro, o Grande, no mar do Japão. Essas águas banham Vladivostok, a maior cidade do extremo oriente russo, e onde localiza-se a base de sua Frota do Pacífico. Essa região é polêmica, poi,s em 1984, a União Soviética decretou que o território era de sua responsabilidade e ordem.

O destróier USS John S. McCain, dos Estados Unidos, atingiu os limites do golfo às 13h17 locais, entrando cerca de 2km dentro da fronteira da Rússia. Em seguida, o Almirante Vinogradov se dirigiu em direção ao navio estrangeiro, em uma manobra de abalroamento, segundo o Ministério da Defesa. 

Diante da ameaça, o comandante americano acabou mudando a sua rota de navegação, deixando a região rapidamente. Apesar de não ter relatos de confrontos diretos, o Comando do Pacífico da Marinha estadunidense publicou uma nota sobre o caso, em repúdio à ação da marinha russa.

Para os EUA, o seu navio estava apenas passando pela região em uma operação de livre navegação, portanto, aquele território não seria classificado como de comando da Rússia, sendo considerado por eles águas internacionais, onde não deveriam ser impedidos de percorrer.